quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

2009 em "flashback"

Os últimos tempos não têm sido fáceis, o trabalho parece que nasce e quem tem ficado esquecido é o aqui o 7folhas. Espero que os "leitores habituais" compreendam: é uma questão de prioridades... e no que concerne a prioridades, tenho as minhas bem definidas.

Não podia no entanto, neste último dia de supostas mini-férias (supostas... pois alguém inventou o telemóvel), deixar de passar por cá para fazer um breve "flashback" de 2009, um ano que a nível pessoal não poderia ter sido muito melhor já que tive sempre comigo a minha família, os meus amigos, saúde e trabalho. Assim sendo, só posso fazer um balanço positivo.

2009 em números:

- 203 posts colocados aqui no 7 folhas;
- 15 .000 visitas;
- 22. 500 page views;

Pareça pouco ou muito, foi o possível, dentro das limitações que se impõem a quem usa a blogosfera como lazer não como profissão.

A todos os que por cá passaram ficam um sincero OBRIGADO. A todos os que se deram ao trabalho de manter debates, apresentar contraditório e divergência: Parabéns! O 7folhas é meu, mas em cada um desses posts é também vosso (e isto sem falsos elogios).

Para muitos outros, aqueles que ficaram com amargos de boca, o meu profundo " Temos Pena"! Não estou aqui para agradar a ninguém, já que Cristo era bem melhor que eu e não conseguiu.

2009 foi um ano atípico, com 3 actos eleitorais, com aumentos em áreas "importantíssimas" para este Governo (desemprego, falências, precariedade) e com descidas perigosas para a qualidade de vida dos portugueses (emprego, rendimento real, nível de vida).

Ao longo de quase um ano, aqui no 7folhas, assumimos uma causa "libertar Marinhas", por isso, se mais motivo não houvesse para realçar 2009, a vitória do Sr. Aurélio nas autárquicas para a JF Marinhas, deu um sabor especial a este ano.

Falou-se de política, de cidadania, de "não-polítca", de lazer, de cultura, de desporto, de causas, de tecnologia, ... enfim... de tanta coisa que se resume numa só: VIVEMOS! E demos eco de um ano de vida em breves trechos neste blog.

Esperamos sinceramente ter proporcionado alguns bons momentos a quem nos visita, pedindo no entanto desculpa por imperfeições na redacção de alguns posts, já que o tempo nem sempre é o mesmo para a redacção de cada post e isso reflecte-se inevitavelmente na qualidade e no cuidado do mesmo.

Para 2010:

Bem... 2010 ainda mal começou mas promete ser um ano "giro", senão vejamos:

- o Presidente da República pouco ou nada disse de realmente importante, ou melhor, não disse nada que fosse por demais evidente, no entanto surgiram às dezenas opinadores feitos "bruxo de Fafe" tentando ler nas palavras claras e óbvias do PR mensagens subliminares a seres vindos de outra galáxia. Não percebo o alarido já que o PR foi bem claro, chamou Governo ao Governo, Oposição à Oposição, Crise à Crise... ou está o motivo para tanto opinador achar que tem algo de útil a dizer como interpretação das ditas palavras? Será que amanhã alguém vai dizer que havia recados ali ao Sr. Luís Filipe Vieira sobre os fundos de investimento do SLB? Ou que o PR mandou recado ao Queirós por causa da convocatória de Brasileiros para o Mundial e da escolha de I Gotta Feeling como hino? E que mandou recado ao Balsemão para ter cuidado com a escolha do vencedor do ídolos?

- Falando da qualidade da democracia... é óbvio que temos que ter cuidado com os grandes grupos de Comunicação! Já o Zequinha alertava para isso (o das historias)!! Há até quem fale numa OPA sobre o Jornal local com mais tiragem: O Nascer de Novo!

E para terminar, já que vou ter um ano para falar,

daqui me despeço com um voto de BOA SORTE ao piloto esposendense no Dakar, Paulo Gonçalves, para que leve as nossas cores além fronteiras ao topo e que se traduza mais uma vez na prova de que nesta terra ainda há quem vença por mérito!

Força Paulo!


sábado, 26 de dezembro de 2009

Boas Festas

Uns dias sem rede impediram-me de deixar aqui um voto de Santo e Feliz Natal a todos os que visitam o 7folhas, deixo-o no entanto agora.

E deixo-o com uma música fantástica que "reza" assim:

Paul van Dyk feat. Johnny McDaid - We are One

Born out of the dirt
Scattered and thrown into the world
Huddled together

One sun shines on us all
Our skin and bones add up to more
When we cling together.

We can be as one
No more barriers
Build a bridge with love
No more barriers

This time our time has come
No more barriers
We are one

One thought, one glorious thought
We are alive inside of a life
We´re in it together

We can be as one
No more barriers
Build a bridge with love
No more barriers
This time our time has come
No more barriers
We are one

We can overcome together
We can be as one together
We can overcome together
We can be as one together



quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

o "Tema do Dia"

O tema do post de hoje não podia ser outro que não este: "União Homossexual".

notas prévias:


Do Código Civil


Artigo 1577.º

(Noção de casamento)

Casamento é o contrato celebrado entre duas pessoas de sexo diferente que pretendem constituir família mediante uma plena comunhão de vida, nos termos das disposições deste Código.


Artigo 1586.º

(Noção de adopção)

Adopção é o vínculo que, à semelhança da filiação natural, mas independentemente dos laços do sangue, se estabelece legalmente entre duas pessoas nos termos dos artigos 1973.º e seguintes.


Artigo 1979.º

(Quem pode adoptar plenamente)

1 - Podem adoptar plenamente duas pessoas casadas há mais de quatro anos e não separadas judicialmente de pessoas e bens ou de facto, se ambas tiverem mais de 25 anos.



Posto isto, permitam-me que opine sobre o assunto.


Se o Código Civil prevê que o Casamento tenha como requisito a união entre duas pessoas de sexo diferente, qual a necessidade de alterarmos a noção de casamento socialmente entranhada afim de dar cobertura a algo diferente? O que é diferente carece sim de respeito, de não discriminação, mas não de terminologia igual. Sou assumidamente contra o uso da terminologia "casamento" para as uniões homo. Assim como permitimos às pessoas que não se querem casar uma tutela dos seus direitos através da união de facto, também aqui a figura jurídica deve ser outra.

Deixem Casamento ser Casamento, União ser União, e arranjem outra qualquer terminologia. É que em boa verdade, os movimentos "homo" parecem estar num claro "finca-pé" para usar a terminologia. Começo a interrogar-me se pretendem ver os seus direitos reconhecidos ou se ao invés querem apenas afrontar alguém.


Assim, porque respeito a busca da felicidade dos outros, independentemente da orientação sexual, serei sempre favorável ao reconhecimento dessas uniões, não obstante, com a mesma naturalidade que aceito essas uniões defenderei sempre que essa não se chame casamento pois alterar essa figura jurídica ao invés de criar uma nova não será um exercício do Direito à Igualdade constitucionalmente consagrado, será tão só uma subversão desse mesmo princípio, será tratar de forma igual o que é diferente, isto não é igualdade. Diria mesmo (com algum exagero) que em última análise, uma violação do "Direito à Igualdade" na vertente negativa desde - o direito á diferença, de todos aqueles que ao longo dos anos se casaram na certeza de que o Casamento era uma união entre duas pessoas de sexos diferentes e agora alguém altera as regras do jogo e o Casamento passe a ser uma união entre duas pessoas.


Escusado será dizer que há algures por aí na argumentação dos que se entrincheiram por este tema uma contradição interessante.


De um lado temos alguns ditos "católicos mais fervorosos" que dizem que estas uniões são contra natura e que a Bíblia numas quantas passagens repudia este comportamento... ora... isto até teria o seu provimento não fosse o facto de que o Casamento é um Contrato... não é uma união divina a não ser para os crentes... e como o "Estado é Laico"... estamos conversados.


Por outro lado, os que defendem que as pessoas devem "casar" com quem querem sem impedimento do Estado... dizem casar-se "por amor"... se não estou em erro... ou melhor, não estou em erro de certeza: Não é o "mandamento do Amor" o maior de todos que Cristo nos deixou plasmado nas suas passagens narradas na Bíblia? Grande chatice é que "o amor" não tem relevância legal para o caso... se ainda me dissessem que casam "de boa-fé" ainda que poderíamos arranjar solução para o caso... agora... por amor? Bem... andaríamos anos a tentar traduzir isso em relações afectivas com toda a dificuldade que isso implica (porque argumentos do tipo "foi amor! Eu vi o brilho nos olhinhos dele..."! Valem o que valem).


Sem contrariar os que casam por amor e os que casam por contrato... há no entanto uma questão que me inquieta: Se o Estado deve legalizar as uniões homossexuais em prol da felicidade dos seus cidadãos... não era melhor aproveitar a alteração legislativa e legalizar já a bigamia e a poligamia? Ou será que proibir estas condutas não viola o "Direito à Igualdade"? Afinal o critério não é o "cada um deve ser feliz como quer"? (respirem fundo todos aqueles que têm tendências homicidas pois a probabilidade de se legalizar o homicídio é bastante remota... não é que não desse jeito... mas pronto: é anti-natura! Eu bem sei que a procriação entre homos também não é propriamente "pró-natura" mas vou dar essa de barato).


Continuando,


Deveremos permitir a adopção?

Creio que sim e isto sem qualquer alteração legislativa.


Julgo que ninguém tem moral para dizer que são melhores ou piores adoptantes um casal hetero ou um homo. Os afectos, "o amor", não são compatíveis com discursos inflamados de fundamentalismo.

Neste sentido, o período de 4 anos de união(regra geral) parece-me um tempo razoável para os casos em que não existe vínculo do adoptado com qualquer um dos adoptantes.

Na práctica, aquilo em que acredito nesta matéria é que primeiro deve o Estado enquadrar legalmente as uniões homossexuais e definir um prazo de "habituação social" que seria nada mais que um período sem adopções nestes moldes que permitisse à sociedade aprender a lidar com naturalidade com os "unidos homo" e então depois aprendesse a não estigmatizar as crianças adoptadas por estes casais.


Ora, como a lei já prevê um período de 4 anos "pré-adopção" parece-me mais que suficiente para que a sociedade se habitue a lidar com tudo, e com naturalidade nos respeitemos na diferença sem preconceito e estigma.


É claro que notícias do gênero "foi hoje adoptada a primeira criança por dois homens" não ajudam à naturalidade, criam "show-off" em torno de questões que deviam ser tratadas com naturalidade.


E posto isto, termino a opinião mais alongada sobre o tema do momento, de forma pessoal e em consciência, na certeza de que este tema, à semelhança da IVG, são temas de consciência não compatíveis com partidarites nem falsos moralismos.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

O palhaço - by Mário Crespo

Permitam-me a transcrição de uma grande crónica de Mário Crespo no JN:

"O palhaço compra empresas de alta tecnologia em Puerto Rico por milhões, vende-as em Marrocos por uma caixa de robalos e fica com o troco. E diz que não fez nada. O palhaço compra acções não cotadas e num ano consegue que rendam 147,5 por cento. E acha bem.

O palhaço escuta as conversas dos outros e diz que está a ser escutado. O palhaço é um mentiroso. O palhaço quer sempre maiorias. Absolutas. O palhaço é absoluto. O palhaço é quem nos faz abster. Ou votar em branco. Ou escrever no boletim de voto que não gostamos de palhaços. O palhaço coloca notícias nos jornais. O palhaço torna-nos descrentes. Um palhaço é igual a outro palhaço. E a outro. E são iguais entre si. O palhaço mete medo. Porque está em todo o lado. E ataca sempre que pode. E ataca sempre que o mandam. Sempre às escondidas. Seja a dar pontapés nas costas de agricultores de milho transgénico seja a desviar as atenções para os ruídos de fundo. Seja a instaurar processos. Seja a arquivar processos. Porque o palhaço é só ruído de fundo. Pagam-lhe para ser isso com fundos públicos. E ele vende-se por isso. Por qualquer preço. O palhaço é cobarde. É um cobarde impiedoso. É sempre desalmado quando espuma ofensas ou quando tapa a cara e ataca agricultores. Depois diz que não fez nada. Ou pede desculpa. O palhaço não tem vergonha. O palhaço está em comissões que tiram conclusões. Depois diz que não concluiu. E esconde-se atrás dos outros vociferando insultos. O palhaço porta-se como um labrego no Parlamento, como um boçal nos conselhos de administração e é grosseiro nas entrevistas. O palhaço está nas escolas a ensinar palhaçadas. E nos tribunais. Também. O palhaço não tem género. Por isso, para ele, o género não conta. Tem o género que o mandam ter. Ou que lhe convém. Por isso pode casar com qualquer género. E fingir que tem género. Ou que não o tem. O palhaço faz mal orçamentos. E depois rectifica-os. E diz que não dá dinheiro para desvarios. E depois dá. Porque o mandaram dar. E o palhaço cumpre. E o palhaço nacionaliza bancos e fica com o dinheiro dos depositantes. Mas deixa depositantes na rua. Sem dinheiro. A fazerem figura de palhaços pobres. O palhaço rouba. Dinheiro público. E quando se vê que roubou, quer que se diga que não roubou. Quer que se finja que não se viu nada.

Depois diz que quem viu o insulta. Porque viu o que não devia ver.

O palhaço é ruído de fundo que há-de acabar como todo o mal. Mas antes ainda vai viabilizar orçamentos e centros comerciais em cima de reservas da natureza, ocupar bancos e construir comboios que ninguém quer. Vai destruir estádios que construiu e que afinal ninguém queria. E vai fazer muito barulho com as suas pandeiretas digitais saracoteando-se em palhaçadas por comissões parlamentares, comarcas, ordens, jornais, gabinetes e presidências, conselhos e igrejas, escolas e asilos, roubando e violando porque acha que o pode fazer. Porque acha que é regimental e normal agredir violar e roubar.

E com isto o palhaço tem vindo a crescer e a ocupar espaço e a perder cada vez mais vergonha. O palhaço é inimputável. Porque não lhe tem acontecido nada desde que conseguiu uma passagem administrativa ou aprendeu o inglês dos técnicos e se tornou político. Este é o país do palhaço. Nós é que estamos a mais. E continuaremos a mais enquanto o deixarmos cá estar. A escolha é simples.

Ou nós, ou o palhaço. "


Quem assim fala... merece ser ouvido!

domingo, 13 de dezembro de 2009

Fim de Semana no Rivoli.

Este bem podia ter sido um fim de semana das artes.
Sexta-feira assisti à peça "A casa do Lago" em exibição no Rivoli do Porto!

"A casa do lago" é uma peça com qualidade mas com um argumento bastante pesado. Pensar na vida numa óptica de um idoso de temperamento difícil, com problemas de memória e uma filha com quem entra em conflito. É, num fundo, uma dissertação sobre o choque geracional numa abordagem pesada qb.

Vale a pena ver embora seja um espectáculo que nada tem a ver com os musicais "Um violino no telhado" e "A gaiola das loucas". Apesar da qualidade, falta o brilhantismo dos registos anteriores.




Sábado, foi dia de Óscar Branco em "Querida Televisão", em exibição no Pequeno Auditório do Rivoli...

Bem... num registo bastante diferente, numa comédia singular, "Querida televisão" é pura e simplesmente de ir às lágrimas.

Uma peça que em determinados momentos se resume a uma compilação de "anedotas" daquelas que recebemos por mail ao jeito de "CÚ - Cartão Único", noutros vai muito além e rebenta-nos com o abdominal de tanto riso. É de um humor com nível, bem tirado, a interacção com o público roça os momentos de "stand-up comedy" e a peça no seu todo é digna de uma noite bem passada.

Há um "Bin-Laden" no meio da peça que... muito sinceramente... não dá para conter as gargalhadas.

Uma peça genial. Esta sim, recomendo vivamente.


















quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Credibilizar a Política!

É certo e sabido que as já de si "frases feitas" do tipo "vamos credibilizar a política" são cada vez mais um lugar comum de qualquer discurso político inflamado ou pura e simplesmente ingénuo.

Hoje, o Eng. Couto dos Santos assistiu a um dos episódios mais deploráveis da democracia portuguesa e em face de tal episódio a questão que se me coloca e que coloco aos leitores do 7folhas é simples:

"Que obrigação têm os jovens de credibilizar a política se são os políticos que a descredibilizam?"

Com que moral digo eu a um qualquer amigo "eh pah, junta-te aqui ao meu grupo, vem participar civicamente de uma forma diferente através da política" se ele olha para a televisão e pensa "Eu? Juntar-me aquela raça? Antes meter-me na droga!"

Urge alertar os políticos para o facto de que eles são o rosto por excelência da democracia! São eleitos pelo povo e para agirem em prol do povo. São o rosto de uma nação cada vez que passam para o lado de dentro da porta da Assembleia da República.

O espectáculo lamentável que se viveu hoje na AR é o exemplo do que não deve ser a política.

Entre palhaços, esquisofrénicos, vendidos... alguém sabe dizer se na AR ainda há deputados? É que ... se alguém me disser que "ainda é do tempo em que havia" eu vou seguramente concluir que a nossa experiência democrática foi um aborto. Que temos uma democracia com 35 anos mas que no fundo ao atingir a maioridade não se emancipou... pelo contrário, enterrou-se nos vícios, no compadrio, na corrupção...

Será que há alguém capaz de dar um par de estalos na nossa "democracia" e fazê-la voltar a aterrar?

Em Portugal Zé que rouba é ladrão, político que recebe carapaus é "como os outros! São todos assim";
Em Portugal Zé que anda de grande carro é da droga, político que anda de grande carro foi herança de família ou prenda de amigo;
Em Portugal Zé que "petisca" por fora é badalhoco, político "namoradeiro" é um galã.
Em Portugal Zé que "lixa" o amigo é hipócrita e cobarde... político... não tem amigos, tem amiguinhos e quando os lixa recebe a medalha de um "bom quadro do partido" e prémio "cacique honroso".

Em Portugal ... apesar de tudo... o Político... essa raça de bicho da pior espécie... é e continuará a ser o melhor retrato social do país que o elege. No fundo, é gente da nossa gente... que cresceu na nossa terra, filho do ti' Jaquim e da ti'Rosa...

Apenas uma coisa distingue o bom político do mau político: a forma como olham para as origens.

Vamos credibilizar a política? Vamos! Primeiro retirem-se os políticos... o resto depois é fácil.

Para quem não viu, aqui fica:

Adivinhem quem voltou!!

Tinha que dar nota disto, o blog mais "divertido" que conheço está de volta!

O "historiasdozequinha.blogspot.com" está de novo em funcionamento, com o mesmo humor mordaz de sempre e em boa verdade com "kolidade" na piada!

Ao que o autor noticia, porque tinha medo, comprou um cão... e olhando para a imagem... "aqueles 2" fazem-vos lembrar alguém? É que a mim lembram-me o... com o seu fiel .... (lol)

Bem, fica dada a notícia. Ao "zequinha" desejamos sucesso pois dentro do estilo (blogs anónimos) tem a sua piada. Esperemos é que desta vez não se cale por pressão nenhuma nem a troco de caixas de robalos, mesmo que apesar do anonimato alguém lhe descubra "a careca".

É claro que só aqui estou a dar a notícia, não posso apelar a que o visitem sob pena de estar a fazer num post o que outros fizeram por sms e que veio parar ao meu tlm... é que divulgar um blog por sms tem nível, aqui no 7folhas é que somos mais poupadinhos!!

Dentro deste estilo de escrita deixo aqui referência a um blog com muita piada, o "http://ferribodidoamor.blogspot.com/" que, ironia do destino, me foi dado a conhecer à porta de uma Assembleia Municipal.


sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

De cabeça perdida...

Quem diria que um dia destes eu eu podia começar um texto com a nostálgica expressão "Eu sou do tempo...". Pois bem, assim é.

Eu sou do tempo... em que as cúpulas do PSD falavam dos perigos e desvirtudes de uma liderança bicéfala.
Ora, o rumo actual das coisas em nada abona para os pensadores do tema nessa altura, é que nesse tempo, a bicefalia não partilhava a mesma bancada, o líder não estava no Parlamento.

Pior estão as coisas agora, com uma líder "em apuros" para cumprir calendário, e um líder parlamentar que insiste manter as suas opiniões próprias em clara demarcação das tomadas de posição da líder do partido... que partilha a mesma bancada.

Tenho a leve sensação de que alguém anda a "fazer caminho" e que, sabendo que a líder do partido não o vai meter na linha por estar fragilizada, vai continuar a capitalizar posições.

O mínimo que seria de pedir era solidariedade... mas ao que parece o único militante destacado que tem a "obrigatoriedade" de ser solidário é Pedro Passos Coelho, os restantes podem "tirar-lhe o tapete" à vontade que ficará sempre sob o manto da liberdade de expressão dentro de um partido democrata.

"todos diferentes, todos iguais" - quando calha!

Hoje é dias das pessoas com deficiência, pelo menos era o que dizia a nota de rodapé da SIC.

Pessoalmente detesto este tipo de notícias. Fazem campanhas, acções de sensibilização, gestos bonitos... mas no fundo é só hoje.

Amanhã, as pessoas com deficiências continuarão a andar na rua e a passar esquecidas entre a multidão. Continuarão a circular nas faixas de rodagem das ruas com cadeiras de rodas pois as medidas dos passeios nem sempre são “generosas” ao ponto de permitirem a circulação de uma cadeira de rodas, a subir degraus para chegarem aos passeios, a palmilhar o chão com uma bengala na tentativa de se orientarem quando são privados de visão não deixando no entanto de embater em caixotes do lixo e placas “estrategicamente” penduras e como tal indetectáveis, a subir rampas com 15% de inclinação para chegar a serviços públicos, a sonhar chegar a uma caixa multibanco, a fazer compras sem ler os preços, a abrir portas sabe Deus como nos casos em que faltam as mãos, enfim... continuarão a viver com “coragem de leão” perante “bonitos gestos de caridade vazia”.

Às vezes interrogo-me na tentativa de perceber se o esquecimento a que deixamos os nossos deficientes é apenas uma forma de exercitarmos esse sentimento tão nobre de “pena” praticando uma suposta “boa-acção” do dia, o nosso gesto de caridade.

Ficamos felizes se ajudamos alguém a subir uma rampa em cadeira de rodas, alimenta-nos o ego pensar que ajudamos alguém... mas... será que ajudamos? Será que ajuda não seria reivindicar acessos dignos que todos pudessem subir sem dependerem de terceiros? Fazer quem de direito perceber que a pessoas são livres de ir onde querem sem que para tal precisem de esperar pelo próximo transeunte disposto a “dar uma mãozinha”?

Será que a grande maioria das nossas passagens de peões se coadunam com limitações visuais?

Será que por causa da gripe A gastamos milhões mudando sistemas de aberturas de portas mas por causa de um deficiente não conseguimos gastar 10 euros?

“Ah e tal” é bonito aquele slogan “todos diferentes, todos iguais”... e é da moda a igualdade de direitos dos gays em questões de casório... onde pára essa igualdade afinal? Somos uns mais iguais que outros mais diferentes?

Ou será que entre tantos “sem pernas”, “sem braços”, “sem visão” ... a decisão final cabe sempre aos “sem cabeça”?

Bem vistas as coisas, o “Estado é laico” mas dava um jeitão enorme que Cristo viesse a Portugal e curasse essa gente toda... poupavam-se uns euros, continuavamos “todos diferentes, todos iguais” e o dia de hoje seria apenas um dia como o de ontem e o de amanhã – mais um dia de indiferença.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Memórias...

Será que ainda se lembram disto?

Ando com isto aqui no leitor de mp3 e tenho que admitir que muito para além das boas recordações que me traz esta música, das tardes de guitarradas na sala de ensaios, das actuações onde não faltava o nosso "cover" de "zombie", esta é definitivamente uma grande grande música, daquelas de fazer pular mesmo.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Sporting... juridicamente falando!

Há coisas fantásticas!! O 7folhas falar de futebol é raro! Mas falar do Sporting é quase um inédito.

O texto de hoje não pretende revestir-se de carácter de parecer jurídico dado de barato, pois do alto da minha humildade aprendi outrora com o Professor Doutor Vera Cruz nas minhas aulas de mestrado que, ao invés do que muitos se dizem, eu não sou jurista. (Eu sei que está muito em voga ouvir-se da boca de certos licenciados em direito a expressão "sou jurista", todavia o que os licenciados em direito são é isso mesmo "licenciados em direito" com um título de "dr." conferido pela licenciatura, mas de licenciado em direito a jurista... vai uma vida de distância!)

Passada esta breve nota, e para que se perceba que o que aqui escrevo é apenas e tão só na óptica de um "normal" licenciado em Direito que teve a honra de ter como Professor de Direito Constitucional um grande Professor que me escuso aqui referir o nome - como alguém disse: "é o Zé Mourinho do Direito" - é bem verdade, permitam-me que disserte aqui algo que acho pertinente.

Do que se trata:

Constituição da República Portuguesa
Artigo 13.º
(Princípio da igualdade)
1. Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei.
2. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.


Li ontem num jornal que há gente muito indignada com uma suposta campanha levada a cabo pelo Sporting Club de Portugal que "discriminava" casais homossexuais.
Fiquei chocado ao ouvir opiniões de gente que eu até suponha informada.

A CRP estipula que ninguém pode ser prejudicado (que é o que dizem tratar-se) por causa da orientação sexual, ora se o SCP pretende lançar uma promoção duas pessoas de sexo oposto, onde é que isto choca os homo?

Aprendi em tempos que igualdade significa tratar de forma igual o que é igual e de forma diferente o que é diferente. Um casal homo é igual a um casal hetero? Estes que agora falam de necessidade de defesa da igualdade alguma vez se plantaram à porta de um estádio de futebol naqueles célebres dias da mãe e da mulher em que há clubes que oferecem entrada a senhoras? Alguns destes defensores se plantou à porta a exigir que os homens entrassem de borla sob pena de discriminação face ás mulheres? Ou será que para ter bónus enquanto sócios de um clube já todos querem ser "panilhas"?

Começo a achar que a GameBox do Sporting vai ser não uma forma de angariar sócios mas sim um movimento "Sai do Armário".

Nesta questão permitam-me que defenda o Sporting. Permitam-me que não entre no populismo de defender os "coitadinhos dos panilhas".

Também não vou para a porta das discotecas nas "noites da mulher" pedir ao porteiro que aplique as mesmas condições aos "panilhas" que por lá entrarem para não haver discriminação.

No meu país há dois gêneros: masculino e feminino! Enquanto não me provarem que o "neutro" tem enquadramento legal deixem-se de fundamentalismos.

Se o Sporting faz uma campanha tendo em vista um casal, na acepção social que o temos hoje, implica pessoas de sexos opostos.

No site do Sporting pode ler-se "PREÇO ESPECIAL PARA 2 SÓCIOS DE SEXO OPOSTO QUE ADQUIRAM A SUA GAMEBOX EM SIMULTÂNEO E PARA O MESMO SECTOR!" onde é que isto é discriminação? É uma campanha como todas as outras, com um critério como muitos outros.

Será que um Clube não é livre de tentar chamar mais mulheres ao estádio e o Estado é livre de as impôr em eleições públicas? De um lado funciona a "lei da paridade" e de outro é a "lei da panilhada"?

Poupem-me!

Eu até aceito as uniões gays... mas este tipo de paneleirices tiram-me do sério.

Desculpem...

Será que quando eu for à bola com cartão jovem alguém vai exigir o mesmo desconto invocando o princípio da igualdade? Que igualdade é esta afinal?

Vamos passar a ter um Estado refém das questões fracturantes? Queremos um país de igualdade ou de coitadinhos?

Muito mais me apetecia dizer... mas seria necessariamente uma entrada pela parte "jurídica" da coisa, que iria fazer este artigo ser um "Parecer" :)

E depois teria que terminar o post à semelhança de outros blogs, rematando com umas breves notas sobre as habilitações do autor do dito parecer!!!

Pela igualdade, hoje apoio o Sporting!

terça-feira, 24 de novembro de 2009

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Uma semana agitada!


Depois de uma semana atolada em trabalho, hoje comecei a semana com o ritmo mais aceitável e no meio disto lá vim dar um saltinho ao 7folhas e partilhar convosco as "Crónicas" da semana!
1.º - Sábado tive o prazer de representar mais uma vez a peça "Coração Lusitano", desta vez no palco do auditório municipal de Esposende, que estará disponível no site da www.esposende.tv, e que recomendo. Somos um pequeno grupo amador mas capaz de entreter quem nos assiste com o maior respeito e dedicação que conseguimos dar de nós.

2.º - Ouvi dizer que o Prof. Marcelo ponderou não ser candidato à liderança do PSD!! Quem diria!! Uns ponderam ser candidatos, outros ponderam ser "não candidatos".

3.º- O ESCÂNDALO:

Permitam-me que nas linhas que se seguem seja politicamente incorrecto. Na minha terra diz-se "quem se farta são os burros", todavia, permito-me assumir-me farto e inverter o dito dizendo que quem não se farta são os burros.

Será possível continuarmos a assistir impávidos aos filmes em torno do nosso Primeiro Ministro? Depois de Independente, de Freeport, de apartamento da mãe, de primos importantes, de amigos influentes, agora... agora... é de sucatas que se trata?

Será que entre tanto doutor e engenheiro o único desonesto é o pobre sucateiro?
Mas que país é este? É um país de igualdade? Ou um país de bôbos, de burros e de murcões?

Eu sempre ouvi dizer e acredito piamente que um título não serve de nada. As pessoas valem pelo que são e a sua competência não se afere por dr.s e eng.s antes do nome, por isso continuo sem perceber os tabus que se fazem em torno do título de certas pessoas e a necessidade que alguns têm de dizer que são o que na verdade não são, de usarem de estratagemas para chegar sem trabalho onde outros chegaram com muito esforço.

Pior que tudo, como se não bastasse o escândalo de termos gente com títulos falsos, com licenciaturas domingueiras, agora temos um personagem que conseguiu ser pós-graduado antes de ser graduado!!! Pasmem-se!! Que país é este? Ou melhor, que República das Bananas é esta? Será "das" ou "dos"?

Será que vivemos num país de novas oportunidades? Em que cada brecha no sistema é uma nova oportunidade para os "chicos-espertos" furarem o esquema e mamarem no povo? Ao que parece as oportunidades são novas já os larápios são sempre os mesmos!

É uma pouca vergonha este país! Vive-se de "connections" e ou se é "amiguinho" de quem tem ou poder ou se é pobre desgraçado que trabalha de sol a sol para ganhar o salário mínimo enquanto os tipos das "connections" andam por aí a passear-se em belos carros e a receberem malas com € só "por consideração"!!

Ai de nós pensarmos que algum dos suspeitos é culpado!! É tudo gente séria!!! Honesta é que... talvez não tanto.

No meio disto tudo, o que me chateia é saber que isto rolará como rola o processo Casa Pia...

e que vou continuar todos os dias a acordar e a começar o dia de trabalho a pensar que continuo a acreditar na justiça, que todos os homens são iguais perante a lei, que ninguém é mais ou menos digno por usar fato, gravata, calças rotas, roubar, matar... enfim... aquela teoria bonita que plasmaram na Constituição para que o povo soubesse que a liberdade e a democracia são apenas poesia, na sua essência... são apenas uma bíblia socialista escrita com o mesmo tipo de metáforas...

Não acreditam?
Não será caso para dizer que passa mais depressa um camelo pelo buraco de uma linha numa agulha do que o povo português fica a saber para onde foram para as linhas e agulhas de uma suposta linha de comboio que desapareceu?

E pronto... por aqui me basto, chateado, profundamente chateado com a incapacidade de mudar as coisas sozinho. Em boa verdade, antes sozinho por convicção do que rodeado de judas de ocasião - sim, porque "eles andem aí" raivosos!!

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Voltei!!

Numa breve pausa, hoje escrevo apenas para deixar um pedido de desculpas aos leitores do 7folhas. Os dias têm sido demasiado curtos para conseguir tempo e inspiração para cá vir e como não gosto de escrever só por "toma lá aquela palha", prefiro deixar aqui o 7folhas em repouso.

Em todo o caso, continuamos a assistir a uma Governação ridícula e agora, ao ouvir a entrevista do nosso Ministro das Finanças só me ocorre uma expressão: Incompetente!

A fazer previsões de 3% que derrapam para 8% até eu podia ser Ministro das Finanças com os 3 anos de latim que tive no secundário: é bom de letra mas de contas aprendeu com o Sr. Guterres.

Última nota: estarei em palco no próximo sábado no Auditório Municipal de Esposende com o Grupo de Teatro da JUM. Apareçam.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

E agora o Fim da Gripe A!

O princípio da vacina.
Hoje, a abertura do bloco informativo da Tvi dava conta de que o nosso Primeiro Ministro foi vacinado contra a gripe A. Ao que conseguimos apurar, trata-se de um teste de uma nova vacina que dá pelo nome "Nem o Vírus da Gripe A resiste a José Sócrates". Temos assim o know-how para fazer face à pandemia.

Cientistas americanos estão agora a procurar o anti-viral que permita ao Vírus da Gripe resistir a Sócrates.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Sócrates soma e segue!

Eu não quero ir morar para a ilha... mas em boa verdade devíamos pensar arranjar uma das ilhas lusas e fazer dela um ponto de encontro de colarinho branco. Afinal há por aí uns indivíduos que adoram ser escutados em negociatas ao telemóvel que veriam a sua vida arranjada se pudessem estar mais tempo juntos.

A prova? O Sol apresenta mais uma aqui

O que mais me chateia no meio disto tudo é que o pobre do arrumador ali da rua se for apanhado com meia dúzia de gramas de "branquinha" que compra com "desconto de quantidade" para consumo no dia em que recebe a reforma é constituído arguido, presente a juiz e com sorte e um procurador compreensivo não é condenado por tráfico, mas só com sorte e não deixa de ter sido arguido e e presente a juiz.

Dizem alguns que constituir um 1.º Ministro como arguido exige outra ponderação. Ora bolas!
O Primeiro Ministro não é mais digno enquanto pessoa humana que o meu amigo arrumador de carros, pessoa bem educada, simpática e que até é bem melhor do que aquilo que eu seria com a história de vida dele.
Além disso, se todos somos iguais perante a lei, e se a constituição de arguido é um direito para o cidadão, porque raio é que o 1.º Ministro não é constituído arguido já que as novelas se sucedem? Por causa do estigma? De que na prática a constituição como arguido comporta um estigma de condenação na praça?

Então com que cara é que eu digo a um arguido que defenda "a constituição de arguido é um direito que lhe assiste", "é uma figura criada pelo legislador para lhe proporcionar mais direitos de defesa"? Corro o risco de ouvir um "ó sôtôr, se isso dá tantos direitos então seja você arguido ou meta esses direitos pelo ----! Se isso fosse para ajudar o Sócras já era arguido"!

Ou seja, para os pobres (e embora isto seja o discurso da cartilha comuna, tem que ser dito assim) a constituição como arguido é um direito... mas para os ricos é uma fo** que não calha lá muito bem no palmarés!

E como é de prever que este seja mais um episódio das "histórias do Zézinho", é caso para dizer "sócrates soma e segue"!

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

à conquista de Espanha!


Com os nacionais de motocross a acabar, entramos na época de inverno à conquista de Espanha. Van Groove, dj in-sense, será presença semanal no airplay da echolovers.fm

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

as lições do Manu

Levem este post em jeito sério ou em jeito de brincadeira, a verdade é que com consentimento do visado me permito divulgar aqui as lições do meu amigo Manu num registo tão descontraído que só podiam ser mesmo coisa dele.

E visitem o canal aqui

PS Marinhas - homenagem aos fiéis "defuntos"

Embora ainda sem fotografia para documentar o meu escrito de hoje, não posso deixar de dar nota da homenagem que o PS Marinhas presta aos seus vencidos em mês de fiéis defuntos.

Num gesto, que suponho de profundo pesar, alguém colocou junto ao cemitério de Marinhas uma lápide (vulgo outdoor) tal qual epitáfio de Bocage, só que estes não divulgaram o modo de vida dos "falecidos" mas sim a causa da morte.

Impunha o mais elementar bom senso que os democraticamente vencidos (e digo vencidos não derrotados, pois quem vai à luta merece sempre respeito por isso) tivessem a consciência de que um dos factores que contribuiu para que o PS perdesse Marinhas foi teimosia do Sr. Esteves em torno do Campo de S. Miguel, por isso, fazer um outdoor com o pórtico do antigo estádio com um slogan de mau perder em nada devolve o respeito aos autores do mesmo.

É que em boa verdade sempre poderiam fazer daquela imagem capa do Voz das Marinhas (também conhecido como almanaque do PS Marinhas).

E por falar em Voz das Marinhas... ouvi por estes dias que não havia repórteres deste periódico na tomada de posse dos órgãos da freguesia, facto que me deixou intrigado já que vi lá um grupo de pessoas a sair com tanta pressa mal foi encerrada a sessão que até perguntei se eram aqueles os ditos repórteres que iriam com pressa para lançar a notícia antes do fecho da edição para o dia seguinte. Quem diria que andaram 8 anos na Junta a passo de caracol e na hora da saída pareciam balas.

Fica assim o registo e a promessa que logo que tenha oportunidade colocarei aqui foto da supra-referida lápide.

terça-feira, 3 de novembro de 2009

O futuro começa agora!

2 de Novembro de 2009 - o dia que desejamos assinalar como "o primeiro dia do resto da tua vida", melhor dizendo: da vida de Marinhas.

É certo que muitos diriam que os últimos anos foram um tanto ao quanto penosos para mim, afinal de contas eu senti na pele aquilo que alguns dizem ser "tentativa de silenciar alguém"!

Correu mal! A chantagem, as ameaças bacocas em pouco deram, ou melhor, apenas fizeram com que o "redhat82", que vagueava por fóruns das redondezas, assumisse um rosto porque em boa verdade a qualidade da democracia só sai reforçada quando a liberdade de expressão tem rosto (o que para o efeito era quase igual já que toda a gente sabia quem era o legítimo utilizador do nick em questão).

Assim sendo, ontem tomaram posse os novos órgãos que vão conduzir os destinos da freguesia de Marinhas. É certo, que sem qualquer ilusão, esta gente não tem poderes divinos nem sequer sabe aqueles truques da multiplicação dos pães e dos peixes, mas uma coisa têm de certeza: humildade.

E nesse pressuposto que espero para ver o rumo que esta freguesia terá porque me custa andar por este país e ver que a minha terra é muito melhor que qualquer outra... só não tem tido a visão estratégica que fazia falta.

Projectos como:
- os Moinhos da Abelheira (que continuo a achar que deveriam ser um cartão de visita):
- a requalificação do centro da freguesia com uma integração pensada entre construção e lazer (já alguém imaginou um parque radical como o que se encontra na Póvoa de Varzim - frente ao Casino, no antigo Campo de S. Miguel?);
- um parque de lazer/aventura integrado na área de pinhal do lugar de Rio-de-Moinhos já que está integrado no PNLN;
- uma marcação permanente de percursos cicláveis ao longo da freguesia que permitam a qualquer visitante montar na "bicla" e seguir a primeira seta na certeza de que essa seta fará parte de um trilho marcado que o leve a conhecer a nossa terra (obviamente com percursos interligados com diferentes distâncias e dificuldades);
- a criação de parques infantis (sim... porque no lugar de Pinhote o que havia deu lugar a uma exploração de lenha ilegal!! Eu bem sei que o "medo" de afrontar uma Comissão de Festas é sempre grande... mas... bolas!! Há tanto sítio para rachar lenha e tinha logo que ser no centro do lugar? No belo adro de S. Bento?)
- a criação de parques de jogos, diria mesmo que alguns se bastariam por uma pista para jogo de malha, porque me continua a preocupar que haja gente a jogar jogos tradicionais literalmente no meio de estradas e em sítios onde o anterior Presidente foi colocar bancos!! Coisa chique: bancos nas bermas!!
- obviamente a manutenção dos fontanários tem o seu quê de importante... mas... não exageremos!
- a rede de saneamento é importante, mas também é importante que as pessoas sejam advertidas que a ligação à rede de saneamento é por força de lei obrigatória! É uma questão de saúde pública. Claro está que partir para a via da imposição não dá resultado, resultado dá informar as pessoas de que embora seja obrigatório há facilidades de execução e pagamento para que todos fiquem servidos e com melhor qualidade de vida.

E por aqui me basto! Mas mais direi adiante!

Agora, fico-me pelo Voto de Confiança!

"O que é local é bom"!

Depois de um Verão mais "calmo" quando comparado com o de 2008, é hora de dar aqui uma ajudinha a eleger a maior e melhor casa de noite da nossa zona e seguramente digna do prémio "melhor do país".
O Pacha não é "só" uma discoteca, é um local de convívio, de longas conversas noite dentro, de segurança, de bom trato.
Por isso aqui fica um post a solicitar o "voto" nestes ítems na certeza de que não custa nada e sempre colocamos uma casa "da nossa terra" no topo.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Quem quer ser fantoche?

O título do post de hoje bem podia ser o "vamos ao circo" ou "chegaram os fantoches", em vez disso optei por um "quem quer ser fantoche".

A que propósito?
Bem, comecemos do início.
O Professor Marcelo do "Contra-Informação" já era conhecido por ser uma marioneta, agora daí a quererem fazer do verdadeiro Professor uma marioneta vai uma grande diferença.

E aqui expresso o meu repúdio por uma boa dúzia de apaniguados que insistem em puxar fios para moverem o Professor rumo à liderança, e isto porque sendo esses arautos da integridade a proporem nomes "de futuro" já não há qualquer falta de solidariedade para com a líder do PSD em exercício.
O "partido das setas" é hoje um verdadeiro "partido das catanas", é vergonhoso que o "modelo de líder" defendido pelos "arautos" seja um líder oriundo do conclave, não um líder que ganhe em urnas, democraticamente eleito e com um programa defendido.

E outra questão se põe: alguém acredita que esse imaculados estão preocupados com a unidade do "partido das catanas"? Não!! Obviamente, os imaculados querem do Professor uma liderança a prazo, um liderança "mais do mesmo" que aguente o partido nos próximos dois anitos, para depois se "afiambrarem" à liderança sem qualquer oposição.

Em todo o caso convém não perder de vista alguns factores:
- um líder deve querer ser líder;
- um líder deve manifestar a sua motivação sem necessidade de vagas de fundo;
- as vagas de fundo nascem da necessidade que alguns têm de "aparecer" mas sem serem chefes-de-fila para não correrem o risco de se desgastarem;
- a qualidade da democracia reforça-se com o debate de projectos e ideias;
- as listas únicas oriundas do "conclave" só servem para esvaziar o debate e como tal ignoram a democracia;
- um líder que acredita ter estofo para líder não deve esperar para ser líder apenas meio ano antes das eleições - quem não tem fôlego para correr uma "maratona" na oposição jamais terá para correr o "iron man" no poder;
- a idade não é de per se um factor relevante, ainda assim ninguém compra iogurtes fora de validade "só porque ainda não estão empolados";
- renovação nunca pode significar "repescar" o que já tivemos - a isso chama-se "segunda oportunidade" e regra geral quem não é capaz à primeira também não vai lá à segunda. Além disso as segundas oportunidades fazem-nos mais fracos. Porquê? Porque quando temos a noção que podemos repetir algo não pomos tudo de nós na primeira vez.
- (este é muito particular... mas... tirar leituras de resultados das europeias para escolher um líder... bem... com muito respeito pelo Professor Vital Moreira, para lhe ganhar as eleições o PSD até podia ter concorrido com o TOY a cabeça de lista!!)

Isto para dizer:
- que não me revejo numa solução Professor Marcelo;
- que o Professor merecia mais respeito da parte dos imaculados;
- que os imaculados criticam Pedro Passos Coelho mas no fundo são piores que este, já que fazem ruído mas não assumem candidaturas;
- que a Dra. Ferreira Leite no seu próprio interesse devia dar um murro na mesa e expulsar das suas saias, qual "vendilhões do templo", os imaculados;

Continuarei atento à novela Marcelo.

Fim de Semana Aventura.

Depois de um fim de semana de mini-curso de iniciação ao montanhismo lá aprendi a fazer uma boa dúzia de nós bem diferentes do "nó cego" e umas experiências "fixolas" de arborismo com rappel pelo meio.

Fica o registo e a divulgação do Parque da Serra da Freita em Arouca e do Geopark.

Recomendo.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Viciante

Este pequeno excerto é apenas a amostra de um álbum viciante. Sem mais para dizer, apenas que é brutal. E muito bom.
Rammstein - Liebe ist fur alle da

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Concílio Laranja

Depois de várias reflexões sobre o assunto parece que ainda não é desta que terá lugar a reunião do conclave laranja em busca daquele que fale "à cidade e ao mundo"!

O único fumo que se vislumbra é o daqueles que julgavam ser investidos de poderes papais e que vêem assim os seus ensejos esfumarem-se.

Resta assim a via democrática da eleição por voto secreto bem mais difícil de conquistar que a investidura por alguns desejada.

6-1?

(imagem que bem poderia ser do olhar atento de Manuel Machado aquando do lance em que o Nacional chega ao 1-1).


Em "Manuel Machadês" eu diria: "Procure-se o Vintém pois o Cretino está à vista".


Comércio vai poder taxar pagamentos com cartão

É já a partir de Novembro que somos contemplados com a possibilidade de pagamento de taxa por utilização de cartão no comércio.

Como se já não bastasse o "assalto" que é a Via Verde, já que o utilizador paga o dispositivo, poupa funcionários à Brisa mas paga as portagens ao mesmo preço só porque "não tem que parar", agora ainda podemos ser contemplados com o "Vai pagar com cartão? Então são mais €0,50".

Pode parecer uma coisa de menor importância mas não o é de todo. Espero apenas dos comerciantes o bom senso que não teve o Governo.

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Rammstein - liebe ist für alle da

"O amor é para todos", um título com tanto de sugestivo como de profundo, assim é o novo álbum dos germânicos Rammstein. (cada vez me arrependo mais de não ter comprado o bilhete para o Atlântico. Grande pecado)

Um álbum que recomendo vivamente. Poderoso, melódico, é assim uma espécie de batido de sensações que simultaneamente nos embalam e atiram ao ar. Tem som, muito poder de som, típico dos Rammstein, da sonoridade de Senhsucht, com partes profundamente marcadas pelo industrial e muito muito ritmo.

Que mais dizer? Gostei e recomendo. Mais um para adicionar ao "santuário" onde só têm lugar Moonspell e Rammstein.

São gostos:) que obviamente não são para todos.


- Posted using BlogPress from my iPhone

Mundial 2018

Conhecem estes dois? Não? Também não interessa! Um deles é certamente o melhor símbolo daquilo que eu definiria como fiasco.

Ouvir falar de Mundial 2018 dá-me vómitos. Gastar um cêntimo que seja em prol do futebol a este nível então nem se fala.
Posso até estar errado, mas causa-me uma certa repulsa que não haja dinheiro para suportar escalões de formação e de promoção de diversas modalidades, mas haja para se criarem eventos megalómanos, que mais não são do que uma boa mama para a FIFA, numa lógica simples de "Vocês investem e lucram com a venda de cerveja, nós recolhemos a bilheteira".
Se conseguir organizar um Mundial sem gastar um único cêntimo que me faça lembrar a quantidade de "estádios mosquiteiros" que nasceram no Euro, então muito bem. Por outro lado, se precisarem de gastar um cêntimo que seja então, parafraseando o Sr. Maradona... "perdoem-me as senhoras... mas... vão levar....". É que o meus país já terá uma corda nos pés chama Novo Aeroporto, outra no pescoço chamada TGV, e tendo em conta que ainda temos muitas carências nos parques escolares, nas universidades, nos hospitais, ..., o que menos precisamos é de uma nova corda, chama "Mundial 2018" pendurada no...

"Tenho dito".

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

RIP CURL PRO SEARCH

Hoje, ao ver o telejornal, no breve relato do dia sem ondas do RIP CURL PRO SEARCH, ouvi dizer que nos próximos dia iria entrar na costa a desejada ondulação para a etapa em Supertubos.

Ondulação de 5 metros??? Fónixxxx!!

Só me ocorreram duas coisas:

- as palavras de um amigo da Lourinhã;

- o Nazaré Special Edition 2007.

Quanto ao primeiro, bem, a forma como o amigo "boggie" da Lourinhã descrevia essa onda mágica... que espero ter o prazer/loucura/insanidade/demência de apanhar um dia desses, já que da última vez nem vê-la, numa descrição do tipo "fui lá duas vezes vê-la. À terceira vez, "apertaram-se-me" e meti-me lá dentro". Obviamente não revelo o nome do "santuário" em causa! Quem sabe sabe, quem não sabe... mais tarde ou mais cedo descobre. É o "berdadeiro vagalho"!

Quanto ao segundo... bem, fica aqui o vídeo, o registo indesmentível de que há gente completamente marada da carola! Até se me "apertam" só de imaginar, já que os bichos maiores que testei não ultrapassaram os 3mts e quase morro de susto, e estas... bem... estas tinham 6 a 7 mts... coisa pouca, quando o termo de comparação é um tipo deitado com cerca de 15 a 20 cms de largura de corpo. Afinal, o que são 20 cms diante de 6 metros? Precisamente: NADA!!

Pois é, Sr. Saramago!!! Há momentos na vida em que acreditar em Deus dá um jeitaço do raio, senão um gajo nem sabe para quem se há-de virar! Ao menos assim, há sempre hipótese de rezar :)



"Saramago Manson"

O post de hoje podia muito bem ser sobre a célebre tirada "Falem de mim, nem que seja mal, mas falem" saída de Marilyn Manson, o mítico anti-cristo.

Mas não, hoje é sobre Saramago, um "espanhol" e reputado Prémio-Nobel da Literatura, que insiste em de vez em quando parecer português.

Já eram conhecidos as "divergências" deste famoso ateu, o que não lhe era conhecida era a faceta "ridiculeu".

Que o Marilyn Manson vive da imagem do anti-cristo já todos sabíamos, agora, este "tiro" que não é nada mais que uma bela estratégia de marketing do Sr. Saramago, não contava de todo.

Bem vistas as coisas, Saramago lançar um livro tem impacto. Mas, Saramago lançar um livro e mandar dois ou três "bitaites" à Bíblia, bem isso multiplica por dez o impacto mediático do lançamento do livro.

Começo a duvidar da ascensão dos "bons" quando necessitam de chocar consciências para se promoverem, já que isso é por si um indício de declínio.

Espero para ver...

Obviamente que não irei ler a obra deste Sr., que até pode ser muito boa, mas uma vez que "vai beber à Bíblia", prefiro ler o original e dispensar assim as "interpretações de terceiros estranhos ao serviço".

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Sem tempo

Peço desculpa a todos os seguidores do 7folhas, mas a última semana tem sido particularmente cansativa, e a somar ao último mês em que o trabalho parece que nasce, não tem dado para muito.

Se não passar aqui antes, encontramo-nos no fim de semana num óptimo "spot" do norte do país, na esperança de que Neptuno abençoe o merecido descanso e envie ondas daquelas "perfeitas, perfeitas, perfeitas".

Cumprimentos,

"A gerência"

E que mais poderei dizer? ... "mai nada"

domingo, 11 de outubro de 2009

Inevitável!

Nem sei bem por onde começar a escrever hoje. Já escrevi e apaguei 4 linhas iniciais pois nada parece estar à altura do momento.

É bom demais para ser verdade!

Parabéns Sr. Aurélio Neiva!

Para quem não conhecer, este será o Presidente da Junta de Freguesia de Marinhas durante os próximos anos (estou certo que não serão só 4)!

Afinal, justiça seja feita, a gente da minha terra é inteligente: enganaram-se há 4 anos atrás mas hoje não se deixaram enganar.

Esta vitória é também uma vitória de cada marinhense que confiou no Aurélio. Ganhou a freguesia, ganhamos todos.

Ganhou a política limpa, a seriedade, a humildade e a simplicidade. Ganhou a lealdade à terra, a dedicação de alguém que ganhou hoje as eleições mas que começou a trabalhar esta vitória no dia das eleições de 2005.

Bem, mas hoje acho que não consigo escrever um parágrafo ligado com o anterior, estou a saborear o momento e... obviamente, a celebrar este momento como uma causa que aqui no 7folhas abraçamos há muito...

Como diria o cântico:
"Queremos essa vitória,
conquista-a por nós"

Sr. Aurélio, obrigado! Queríamos muito esta vitória! Conquistou-a por nós! Vamos em frente!

E porque é mais que merecida, a faixa que se segue é única e exclusivamente dedicada ao novo Presidente da Junta de Freguesia de Marinhas: AURÉLIO NEIVA!