quinta-feira, 8 de novembro de 2012

"Bandidos, querem tirar-me a minha freguesia"!

O título do post de hoje jamais deverá ser entendido como um desabafo pessoal e deve apenas ser entendido como um pregão de "vox populi" por estes dias!

Ao que me foi dado a saber já há uma configuração pré-definida para a reorganização do mapa autárquico no concelho de Esposende. A saber:

- Antas; 
- Gemeses; 
- Forjães; 
- Vila Chã; 
- União das Freguesias de Esposende, Marinhas e Gandra; 
- União de Freguesias de Apúlia e Fão; 
- União das Freguesias de Fonte Boa e Rio Tinto; 
- União de Freguesias de Belinho e Mar; 
- União de Freguesias de Palmeira de Faro e Curvos

Pessoalmente (e num pessoalmente fortemente marcado pela década de actividade política activa) não discordo da proposta. Habituei-me a olhar para o concelho como um todo nos tempos em que a intervenção política assim o exigia, sem bairrismo, sem constrangimentos! 
Durante os anos da minha vida que passei por Braga e pelo Porto sempre me identifiquei como sendo de Esposende pois sempre que fazia a brincadeira de dizer "sou das Marinhas" toda a gente perguntava de imediato "onde fica isso?".
Convém ainda referir que do que me consigo lembrar, nos últimos 12 anos, precisei de uma Junta de Freguesia umas 4 vezes, sendo 3 delas para reuniões relativas à associação que presidi (e que poderiam ter ocorrido em qualquer lugar) e a mais antiga foi para pedir uma declaração para me filiar no PSD pois à data não tinha cartão de eleitor apesar de já ter 18 anos.
Este breve síntese para que compreendam o porquê de eu não ter nenhum "rim" preso na questão autárquica.

A segunda nota: os tempos evoluíram, o que ontem era longe hoje é "já ali"! O argumento proximidade física e pessoal é por isso ridículo! Há presidentes de junta de freguesia com mais habitantes que o concelho de Esposende todo e defendem que precisam daquela dimensão para estarem próximos das pessoas. Será que uma parte dos nossos com 1000 habitantes são mais limitados? Não creio! Acredito que se fossem colocados em juntas de freguesia com maiores dimensões estariam igualmente aptos a desempenharem funções.

Posto isto: apesar do meu desapego à pessoa colectiva territorial (entenda-se "entidade gestora"), eu tenho respeito pelas pessoas, pelo seu trabalho e uma certa "vaidade" em ser das Marinhas - Esposende.

Voltando à questão do "Mapa"!
Parece-me de todo uma solução sensata! Arrisco dizer que eu teria cortado um pouco mais.
Lamento no entanto que a Assembleia Municipal de Esposende tenha pautado a sua actuação pelo "somos contra e ponto"! Mais útil seria que, em bom jeito "jurídico" se tivessem pautado por um "Nós somos contra, mas caso assim não se entenda, a nossa proposta é: ..."

É certo e mais que provável que esta proposta nunca verá a luz do sol porque entre impugnações, fiscalizações da constitucionalidade e outros expedientes vai andar pelos tribunais e secretarias.
Da minha parte tenho pena! 

Reorganizar os órgãos de gestão em nada tem que ver com extinção de áreas, com extinção de localidades. Nada disso! E é mentiroso e intruja quem vender esse discurso à população menos informada.

Atrevo-me a dizer que o grande problema desta reforma não é o Relvas: são alguns autarcas! Alguns para os quais a dimensão do ego não se mede pelos míseros trocos que recebem pelas funções mas sim pelos desfiles na "feira das vaidades"! Alguns para os quais todo o trabalho vale a pena a troco de umas fotografias! Se o fazem por gosto? Também acredito que sim, sob pena de se tornar um martírio tanto compromisso contrariado... agora a dúvida é saber se o que é maior é o "amor à causa pública" ou o "amor ao umbigo mostrado em público"! Isso é que me parece a "dúvida razoável".

Porventura estas minhas palavras, democraticamente escritas não ao abrigo do acordo ortográfico "abrasileirado" mas sim da liberdade de expressão, causarão "comichão" a alguns. Para esses, aceitem as minhas desculpas, e em bom português aceitem a sugestão: "Faz comichão? Coça!"

Uma outra dúvida que me assola nesta temática é tão simples como fundada: Serei eu capaz de, caso esta lei entre em vigor, votar nas próximas eleições em qualquer autarca que até aqui tenho manifestado com unhas e dentes que só a sua terra lhe interessa? Ou estas mudanças imporão um reformular convicções e veremos alguns (os do umbigo) gritarem a bons pulmões em comício "Até ontem eu defendia a minha terra com unhas e dentes, mas a partir de amanhã prometo defendar estas três como se fosse só a minha!"

Tenho dito!

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Ó Relvas ó relvas, Badajoz à vista!

Aqui há uns dias deparei-me com uma "placa de inauguração" e pensei para mim: abençoada Troika!!

Passo a explicar! Depois desta notícia comecei a prestar alguma atenção aos "títulos" nas placas e a verdade é que se encontram por aí algumas intrigantes! Se o Relvas provavelmente deixará de ser Dr., por castigo do Crato à Lusófona, a verdade é que outros deixaram também de usar o "Dr." nas ditas placas. Fosse por "desnecessidade notória" (pois vivemos numa terra onde felizmente as pessoas se respeitam muito para além do título que usam) ou fosse por poupança (que isto de gravar e pintar mais duas letras sempre é coisa para gastar mais uns euros), a verdade é que nem só o SLB perde títulos.

E posta esta curiosidade me vou! 
Ó Relvas Ó Relvas, Badajoz à vista!!

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

O Sk8 Parquezinho

Dia 13.10.2012 foi inaugurado o Sk8 Parque de Esposende.
Devo dizer que gosto! Já em tempos tivemos um radicalparque sem jeito e agora temos pelo menos um Sk8 Parque jeitoso. Não posso dizer que esteja deslumbrado... estou simplesmente ligeiramente tolerante. O facto de o parque ter sido concebido por gente da área dá-lhe um toque de pequeno mas pensado, coisa que a gente só dos desenhos não consegue nestas coisas. Mas a essência disto é outra! Não deixa de ser um parque pequeno e eu, que não sou apologista do "é melhor que nada", por respeito aos jovens deste concelho, aos "putos traquinas" que adoro ver de Sk8 e patins pelas ruas (talvez porque me lembrem essa fase em que também eu andava na rua com um sk8 maior que eu), por respeito a essa juventude eu vou dizer que aquela "cena" é aceitável!

Em meu humilde entender... é um erro de casting grosseiro a localização do mesmo! É pequeno vai necessariamente misturar muita gente a fazer coisas diferentes no mesmo espaço: uns querem sossego de caminhada, outros pedalam na ciclovia e outros sk8tam como podem. Eu tê-lo ía colocado mais próximo da lota, levando vida para uma zona cuja única dinâmica se traduz no auto-caravanismo selvagem. Mas este é o meu entender. Nada mais que isso.

Feito o sk8 parque em apenas 3 meses após o anúncio... aquilo que me faz mesmo confusão é que se anuncie de viva voz a rapidez com que tal foi concretizado, como sendo um grande feito, e se esqueçam todas as promessas que durante anos vêm sido repetidas sem celeridade, sem eficácia e... sem pego de voltarem a ser prometidas nas próximas eleições! 

Eu sou do tempo, nesse em que andava de sk8 na Rua das Lages, em que os políticos íam em campanha a RM prometer um polidesportivo cimentado e a requalificação da praia de RM (Rio-de-Moinhos)! Hoje, eu deixei de andar de sk8, o polidesportivo e a praia mantêm-se intocadas e os políticos continuam a prometer o mesmo. 

E mais não me apetece dizer: quebrei a rotina das outras letras hoje apenas da dar nota de algo que achei importante! Sim, porque ver algumas caras felizes com um sk8 numa rampa é-me motivação maior do que falar de troikas, de orçamentos e de políticos. 

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Desculpa e Até já...

Os últimos tempos não têm sido nada fáceis... e eu gosto disto assim! 
A adrenalina que me invade os dias permite-me cortar na cafeína que ainda assim vai andando pelas 3 doses diárias.

Este é o primeiro factor que motiva este meu desaparecimento aqui da blogosfera e que me impõe um pedido de desculpas público a todos aqueles que pontualmente foram engrossando o racio de visitas deste "tasquinho".

As minhas desculpas e um obrigado por fazerem parte deste canto.

O segundo motivo: têm sido tantas as notícias nos últimos dias que tenho tido vontade de comentar... que tenho optado por morder a língua e metido as mãos nos bolsos para evitar falar ou escrever, sob pena de caso o faça vir a ter que aturar gente que lida menos bem com a liberdade de opinião dos outros - e digo isto, como digo tudo o que aqui escrevo - assinado e com a foto ao lado! Eu não me refugio em blogues piratas, nem me escondo! Já tive gozo desse qb e mesmo nesse tempo era tremendamente fácil pôr um nome no "RedHat82".

Este é o segundo motivo: fiel à máxima socrática (a do filósofo, não a do palhaço)!

E dito isto, olhando para os últimos tempos daquilo que me mereceria comentário neste espaço, cumpre-me apenas dizer: continuo a gostar muito de política, tenho é cada vez mais repulsa e nojo da generalidade dos políticos! Entre os que pensam que são alguém, os que são alguém e querem ser mais, os que não são merda nenhuma mas que julgam ser algo que ninguém sabe bem o que é, os que querem aparecer, os que querem desaparecer e os que pura e simplesmente me dão náuseas só pelo simples facto de partilharem a mesma atmosfera que eu... 

Aparte isso... devo ser o único que ainda quer acreditar no Governo, não pelas medidas em si, porque algumas são de um amadorismo gritante, mas sim pelo desejo que isto lhes corra bem - porque assim correrá para todos! 

segunda-feira, 16 de julho de 2012

o Biscoito Parque!

A minha "alma" ficou supreendida ao ler as declarações do autarca esposendense na inauguração da nova marginal Esposende-Marinhas!

Fiquei a saber que para o espaço vazio está pensado um Sk8 Parque... "o Autarca João Cepa, anunciando a instalação, ainda este Verão, de um Skate Parque na plataforma ainda disponível na zona Norte".

 Não sou "sk8ter" mas aqui há uns 10 anos atrás percorri tudo que era sk8 parque da zona norte. Em minha humilde opinião, que é tão só a de quem já rasgou muitas calças, palmas de mão e pisou uma grande parte dos "ossos" do corpo em cima de rodas (na altura em patins) o espaço é pequeno.

Não querendo que isto seja lido como sendo entendido na matéria(que não o sou), creio que "o calo" que tenho nos ossos, fruto das quedas neste tipo de parques e outros tantos momentos de gozo estariam aptos a licenciar-me na Lusófona! 

Assim sendo, apenas como referência... e sob pena de o próximo sk8 parque se assemelhar áquele "aborto radical" que outrora mereceu o nome de Radical Parque, deixo aqui uma breve informação em imagem!

Numa das imagens: a marginal de Esposende e a área disponível (à direita)! Nas outras duas(esquerda): o Sk8 Parque de Braga e o espaço do sk8 parque da Maia (este último não sei se ainda se encontra lá porque já há muito que por lá não passo)!

Acho que dá para ter uma noção do espaço e da falta dele... porque montar uma coisa destas não é o mesmo que colocar as rampas num espaço! Aliás, a forma de construção das rampas também tem "ciência", para não se dar o caso de colocarem lá um "half-pipe" como o que existiu no Parque Radical que era coisa que nunca funcionou por defeito de fabrico evidente!

Nestas coisa... com engenheiros e arquitectos à parte, o melhor era contactarem algum clube de sk8 e in-line... e pedirem a opinião a quem sabe!



segunda-feira, 9 de julho de 2012

Informação

Para quem possa ser útil:


"A Estradas de Portugal anunciou que está disponível mais uma forma de pagamento de portagens eletrónicas, apenas para veículos de matrícula nacional. Assim, os condutores podem solicitar junto dos CTT o envio de uma referência multibanco e com esta efetuar o pagamento do valor das portagens em falta. 
 Para tal, basta enviar um SMS com o texto "CTTMB [espaço] matrícula"(ex:CTTMB AA-00-00) para o número 68989. O utente receberá um SMS de resposta com a informação da entidade, referência e valor a pagar, bem como a data limite para o pagamento dessa referência. O serviço tem um custo fixo de 0,30€ do envio do SMS."

Saiba mais aqui.

sexta-feira, 6 de julho de 2012

O Canudo!

Longe vão os tempos em que o dito era "Ver Braga por um canudo", agora "a cena" é mais do tipo "ver a política por um canudo"!

O eventual "32.º Caso Relvas" é apenas mais um caso óbvio daqueles que já por aqui foram diversas vezes abordados ainda que com intervenientes diferentes.

Permitam-me que dê nota deste também, porque a ainda filiação partidária ("ainda" porque ainda não decidi se pago as quotas ou se deixo que me desfiliem administrativamente, para alegria de alguns) não me turva o discernimento e também não me sinto na obrigação de deixar de ser militante para criticar algo que vai mal! 

E o que vai mal aqui? 
O "caso Relvas" é mais um reflexo desta instalada mentalidade tacanha nacional de que um tipo sem "canudo" parece ser um cidadão de segunda! Ora, tenho que registar que sou filho de dois portugueses sem "canudo" e que no entanto são dos melhores e mais capazes profissionais que conheço e a isso se soma a integridade de carácter que lhes é conhecida, coisa que obviamente o "canudo" não confere a alguns dos seus portadores.

Quando chegará o dia em que as pessoas deste país assumem de vez que um ser vale por aqui que é e não pelas "medalhas" com que se apresenta? Se não tem licenciatura pois que se apresente como cidadão competente com competência para a tarefa. Agora... sentir necessidade de arranjar um "canudo" parece querer atestar a falta de capacidade de sem ele se fazer valer de outros créditos.

É triste!

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Partilha Obrigatória!

Não resisti a partihar esta imagem!


E é inquietante o sentimento que me invade ao olhar para ela. Estamos tantas vezes entretidos a olhar o mundo pelos nossos olhos que nos esquecemos que ao nosso lá há pessoas com necessidades tão normais como as nossas e que passam apenas por um pouco de engenho e compreensão.
Para aqueles que tal como eu nunca se tinham lembrado que as pessoas com mobilidade condicionada a cadeira de rodas também gostam dessa sensação que tem tanto de infantil como "mágica", aqui deixo esta partilha. Porque apesar da simplicidade de um baloiço a alegria que dá é sempre digna de repetição.

Moonspell @ Fafe

Como não poderia deixar de ser: Moonspell em raio de alcance razoável, é sempre concerto a não perder! E é comprovado que não enjoo! Gostava muito de ter ido ao Campo Pequeno mas ida a Lisboa e bilhete... são despesas a mais para um concerto.

Assim, porque Fafe é já ali, hoje é dia de romaria!
Vamos a Fafe!

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Lamento!

Lamento ter que dizer isto e lamento ter que dizê-lo da forma mais comedida possível, porque o facto de me ter afastado da política activa me limita o uso da "força de expressão" concedida aos titulares de funções político-partidárias!

Lamento acima de tudo ter que dizer que, depois de aqui ter partilhado um "bem-haja" a quem tem apoiado a realização do Torneio Internacional de Futebol Infantil do Futebol Clube Marinhas, sinto que fui um "mãos largas" e afinal de contas fi-lo de forma imerecida para alguns, pois parece que nem todos os supostos apoios são apoiantes.

Lamento ainda, num lamento em jeito de repúdio, que se façam exercícios de memória sobre os custos do Estádio Municipal que o FCM usa sabendo de antemão que esse estádio que tantas tricas alimentou entre a CME e a JF Marinhas, sobretudo à custa do "falecido" campo de S. Miguel, seja ainda hoje um estádio por acabar e o "falecido" se encontre à espera de lápide. Afinal há mudanças que são para continuar tudo na mesma.

Lamento... mas vou lamentar-me só entre o Neiva e o Cávado, porque se fizer exercícios de memória para além das pontes... talvez não consiga conter as palavras (deve ser a costela da terra que me viu nascer a querer falar também).

Há alturas em que para alguns, melhor seria deixarem "o passado no passado" pois os exercícios de memória selectiva podem dar resultados estranhos.

E mais não digo! Se não perceberem eu faço um desenho! Mas para facilitar a vida a toda a gente existe o google! E o google é fabuloso a reavivar memórias! Tem até a "diabólica" vantagem de guardar em "cache" coisas que as pessoas às vezes apagam da rede. É assim uma espécie de "bigbrother" que tudo vê e tudo sabe.

E note-se: este post não foi escrito ao abrigo do "acordo ortográfico". Foi sim escrito por alguém que não é amante de futebol, por alguém que acha que o futebol é sobrevalorizado e não traz em resultados 10% do investimento, por alguém que até defende a "fusão de freguesias" e como tal não pode ser acusado de bairrista, mas também por alguém que sabe o que é suar por pura carolice. E não há suor que mereça mais apoio que o desses que trabalham por "amor à camisola", dessa gente que "faz as coisas acontecerem. É por esses e por mais ninguém o meu lamento.

segunda-feira, 4 de junho de 2012

16JUN12

Estão abertas as inscrições para o passeio de BTT e Caminhada organizados pela Comissão de Festas de N.ª Sr.ª das Neves em RM (Rio-de-Moinhos).

Um evento de carácter não competitivo, promovendo o convívio e a práctica desportiva.

Note-se que este evento é o 1.º a contar com a "marca" Gin Team!

Não faltes!


Nova leitura

Um dos blogs que fazia parte da lista de leitura aqui desta "casa" e que recentemente tinha sido encerrado, está felizmente de volta ainda que limpo de todos os posts anteriores.

Assim sendo, será reposta a ligação na barra lateral.

Não posso ainda deixar de dar nota desta notícia que, não sendo eu um amante da bola, não pode deixar de alegrar-me ao ler. Há frutos do trabalho no desporto concelhio por isso, dê por onde der, é preciso apoiar esta gente, ainda que para tal se deixe a marginal sem passadiços suspensos e outras coisas lindas. Bonito bonito é criar  uma terra agradável e dinâmica para quem cá vive 365 dias por ano, não para quem cá vem nos dias de sol sem nortada.

E concluindo: que todos os que estiveram na Festa do Futebol Distrital estejam também na próxima semana no evento festivo que será mais uma vez o Torneio de Futebol Infantil do FCM.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

XXV "TIFI"

Está a chegar mais uma edição do Torneio Internacional de Futebol Infantil do Futebol Clube Marinhas.

Ao ver o cartaz do torneio deste ano não posso deixar de notar com alguma tristeza que apesar de 25 anos de dedicação num dos melhores torneios do gênero, o Futebol Clube Marinhas continua sem conseguir despertar o apoio das "grandes marcas" portuguesas. É pena! Já era merecido um apoio que permitisse ir mais além. Certamente não será por falta de projecção do evento nem de falta de trabalho de quem por lá anda, pois ano após ano se vê as horas que dedicam ao torneio.

À falta do apoio dos "grandes" patrocínios, resta contar com os "pequenos" apoios: a população marinhense, a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal. 

Não falhando estes, será sempre certo que pelo menos com a "prata da casa" se faz a festa com a mesma qualidade e dignidade de sempre.

Bem vistas as coisas, este torneio é bem capaz de trazer mais retorno a Esposende do que muitos concertos de verão, basta ver que um concerto de verão traz alguma gente e de entre essa só uma pequena parte consome um café ou um fino enquanto anda por Esposende, ao passo que  os atletas e familiares que participam neste torneio almoçam, lancham e alguns até dormem por cá. É só fazer contas e facilmente se concluirá que é uma aposta inteligente a da Junta e da Câmara em apoiarem esta gente.

Para todos os intervenientes o meu sincero voto de Boa Sorte! 
Para quem os apoia um Bem-Haja! Vamos lá fazer do XXV a rampa de lançamento para o XXVI.

"O ANAFRA"!

O título de hoje, ao que me foi dito por um amigo num comentário na rede, é oriundo de umas expressão imputada a Lula da Silva, algo como "anda por aí muito Anafra"! Não podia ser mais feliz e adequada a expressão nos dias de hoje.

Tentei não dizer muito mais neste espaço sobre a tão badalada "reforma do poder local"mas tenho ouvido tanta "violência verbal" que não consigo mais passar ao lado. Relvas, outrora conhecido por Mouzinho da Silveira, é a personificação "daquele de quem não se pode dizer o nome" e o alvo da ira de uma grande parte dos "Anafras"!

Agora uma coisa é certa, se a minha "santa ignorância" mereceria alguma desculpa porque nunca fui um amante de história e preocupei-me sempre em safar-me nos testes e no dia seguinte "passava à história", a verdade é que, uma das coisas que as aulas de história me ensinaram foi precisamente a investigar. Hoje, na minha "pequenez científica", sinto-me capaz de pegar nos livros e procurar a origem das coisas, e com isto fico chocado quando vejo tanto historiador de café a abrir a boca sobre o berço da nação e o nascimento do poder local.

Não é preciso ser "guru da história", não é preciso ter estado lá! Basta apenas saber ler. Com mais ou menos dificuldade, há um sem número de documentos por aí em livre acesso que desmentem esses argumentos eloquentes de alguns "anafras" sobre o berço das suas terrinhas. É que essas terrinhas até podem existir há 500 ou 600 anos, o que não existem na esmagadora maioria é com as delimitações territoriais que hoje têm nem com os órgãos cuja existência para ser "conditio sine qua non" da existência das mesmas.

Mais grave ainda é o facto de a eloquência de alguns ignorar grosseiramente que as "Juntas" (órgão de gestão) nasceram como Juntas de Paróquia em 1830, e não como alguns nos querem fazer crer, desde 1143!

Neste considerando, a igreja que tantos acusam de conservadora já vai "muitos anos à frente", pois por escassez de sacerdotes atribui-lhes mais que uma paróquia a cada um. 

Como políticos e politiqueiros são coisa em abundância... se calhar em vez de unirmos, dividimos ainda mais, criando as "Junta de Capelinha" já que em muitas freguesias cada lugar tem a sua. Seriam assim uma espécie de Comissão de Festas, mas com o objectivo de gerirem os interesses daquele determinado lugar! Afinal já só falta mesmo esse "órgão intermédio" pois para a unidade territorial mais pequena de todas já temos a "assembleia de condomínio"!

Posto isto, creio ser tempo de partir para a luta: Vamos defender as freguesias... dos autarcas!

Porque acredito que haverá gente séria e competente, capaz com um só órgão de gestão, passar atestados e gerir serviços em mais que uma freguesia ao mesmo tempo. Áqueles que não se seouberem  capazes, ou a quem a reforma possa tirar o palco que lhes massaja o ego (e digo isto porque sei que pelos euros não será de certeza), deixo uma expressão do "Joãozinho" nas palavras do comediante Fernando Rocha: "Num sabe? Arruma pó lado"!

ps: Tentarei a muito custo ser comedido na linguagem. Por algum excesso momentâneo não pedirei desculpa e isso é ponto assente, depois de nos últimos dias ter ouvido insultos e insinuações muito baixas só pelo facto de pensar diferente. Assim sendo, tentando a todo o custo não responder na mesma moeda, se pontualmente tal não conseguir... "temos pena"! Ninguém é perfeito, pese embora eu tente ser um bocadinho melhor a cada dia que passa.

ps2: já vi gente descer a pontos que pensei impossíveis para tentar calar este espaço. Mas como aqui escrevo pelo mero exercício da liberdade de opinião, estou perfeitamente convicto dos limites da linguagem, por isso, podem discordar que eu respeito, exijo é respeito pela minha discordância ou concordância também. Tentar calar-me... 1.º é prova de fraqueza de alguns; 2.º massaja-me o ego; 3.º motiva-me.

quarta-feira, 30 de maio de 2012

"Aqui há Fantasmas"!

O título deste breve comentário ocorreu-me da lembrança dessa fabulosa peça de teatro da autoria de Vasco Santana e não podia vir mais a propósito.

Conforme aqui dei nota há uns tempos, no passado fim de semana houve eleições na concelhia do PSD Esposende. 

Por motivos mais óbvios para uns e menos óbvios para outros não votei e não votarei enquanto os actos eleitorais não forem disputados por mais que uma lista(assim não dá gozo). Nem sequer me dei ao trabalho de pagar quotas! Talvez um dia destes as pague, sem que tal seja conotado com ânsia de ir votar, isto se antes disso não for "desfiliado administrativamente" por quotas em atraso. Se for, em boa verdade, tanto me faz. É para o lado que durmo melhor! As minhas convicções políticas não se esgotam no cartão, nem mudarão por imposições estatutárias ou de lideranças. Obviamente, se um belo dia a essência do PSD mudar, repensarei as minhas ligações.

O que me intriga, e porque se ouvem muitas coisas nesta alturas em que "lista única" aparenta união... é algo tão simples como: o distinto militante que se desfiliou do PSD no ano passado ainda é ou não militante? 

É que "por aí" eu ouvi que ainda o era! Assim sendo... importava que o PSD Esposende tivesse, no mínimo, expressado um voto de confiança! Digo isto porque quando o militante em questão se "desfiliou" (ou pelo menos transmitiu tal desejo ao Partido - independentemente de ter sido ou não aceite na estrutura nacional) a CPS "assobiou para o lado", não tendo manifestado qualquer posição, facto que é de todo inadmissível: 1.º porque se era o interesse de Esposende que estava em causa, a CPS tinha a obrigação de apoiar o autarca (remeteria para a exposição dos motivos para o blog do autor dos mesmos mas encontra-se encerrado); 2.º porque se era o autarca que estava errado importava à CPS indicar também a porta de saída da "casa grande" já que quem ganhou as eleições foi o Partido e não a pessoa!

Na altura, ninguém se pronunciou! A ser verdade que a nacional não terá aceite o pedido, era no mínimo desejável que essa CPS tivesse manifestado o apoio... sob pena de se criar o estatuto do militante fantasma: aquele que não se vendo ensombra por aí! Afinal de contas... será sempre um independente a liderar uma "equipa partidária"! 

Facto que me leva a cogitar dois cenários: ou o n.º 1 não quer estar de saída; ou o n.º 2 não está ainda apto à entrada!!

Se eu tivesse "voto na matéria", (e como o disse na altura), teria apoiado a pessoa em causa no interesse de Esposende quer na saída, quer na continuidade. Seria um acto político é certo, um "cartão amarelo" a Lisboa... mas não seria "assobiar para o lado"! Esta política assim morna... não tem piada! Depois está claro, bate tudo no Relvas!

O Adamastor!

A propósito da publicação da Lei n.º 22/2012, também conhecida por "Regime jurídico da reorganização administrativa territorial autárquica" e na pele de "outsider", enquanto mero cidadão eleitor que não tem responsabilidades autárquicas que vão para além do exercício consciente do direito de voto (e como tal não se encontra condicionado pelo "eu amo muito a minha terra e o Relvas é um bicho mau"), apetece-me dizer a este respeito:

- art.º 9.º do supra referido diploma: "1 - A freguesia criada por efeito da agregação tem a faculdade de incluir na respectiva denominação a expressão "União das Freguesias", seguida das denominações de todas as freguesias anteriores que nela se agregam"

Perante isto, mate-se o Adamastor!! Eu não vou deixar de ser das Marinhas só porque Marinhas passa a integrar uma união de freguesias! Entenda-se: a freguesia que vai ser unida é a "Freguesia" enquanto pessoa colectiva territorial (ver. art.º 235.º, e 244.º a 248.º da CRP)! Trata-se tão só de unir várias freguesias enquanto território sob a tutela de dois órgãos: uma junta de freguesia e uma assembleia de freguesia! 

Ninguém vai "roubar" o nome da terra a ninguém! Ou será que o simples facto de uma freguesia (território) deixar de ter a sua Junta de Freguesia própria e passar a ter uma que englobe mais duas ou três freguesias (território) cria algum problema? 

É que se assim for, meus amigos, acabemos também com as assembleias municipais, isto porque no caso de Esposende a AM é representativa de 15 freguesias. Se eu não me sentir representado numa assembleia de freguesia que envolva representantes de 3 freguesias como posso sentir-me representado numa assembleia que fale por 15?

O mesmo se diga em relação às Câmaras Municipais! Se eu duvidar que um Presidente de Junta seja capaz de olhar por 3 freguesias como poderei compreender que um Presidente de Câmara olhe por 15?

E como se convence alguém de que uma Junta é algo imprescindível para 1000 habitantes quando há Juntas de Freguesia actuais com muito mais população que alguns concelhos deste país?

Começo a achar que por detrás de tarefas cuja remuneração as equipara a "gratuito" há afinal egos que precisam de ser massajados a qualquer preço.

O mundo evoluiu, os 10kms que há 50 anos eram duas horas a pé, agora são 10 minutos de carro, a internet está por todo lado (dito pelo Sócrates) mas afinal de contas deparamo-nos com a contradição de  ter autarcas que de manhã dizem "estamos próximos do centro", "melhoramos as ruas", e à tarde dizem "a minha terrinha está longe de tudo e eu faço aqui muita falta"! (Mais não fosse, são um verdadeiro atentado à profissão dos taxistas, que antes faziam uns serviços de ir buscar e levar o povo à terrinha e agora perderam isso só por "o Presidente da Junta de lá tem a mania que faz tudo"! Mundo insjusto!)

E depois vejamos, algumas Juntas defendem-se dizendo:
- prestamos apoio social (deveria ser competência da Segurança Social);
- temos apoio escolar (e a escola ensina a jogar às cartas?);
- temos biblioteca e internet (50 livros fazem uma biblioteca e a internet continua a ser bandeira como se de um país de 3.º mundo se falasse);
- passamos atestados (os de residência!);
- gerimos os cemitérios (nada que não pudesse ser afecto aos serviços de limpeza municipais que já dão bem conta do serviço por todo o concelho. Não eram os cemitérios que iriam atrasar o trabalho);
.... (vale a pena continuar??)

E muitos mais serviços desta natureza, perfeitamente suportados por uma entidade multi-localidades, e que em boa verdade, limitando-se aos serviços que deveriam ser prestados efectivamente por uma Junta de Freguesia, ainda ficaria com muito tempo livre! O mal disto é que criou-se a ideia de que a Junta de Freguesia é aquela coisa do "faz tudo" que a propósito da fidelização do voto "vai a todas"! 

Em suma: eu vou continuar a ser das Marinhas enquanto localidade, independentemente de onde se situe o órgão de gestão desta. "UF - união de freguesias" parece-me um "prefixo" enorme, mas aceita-se! Sobretudo para lembrar aos náufragos que a sua "terrinha" continuará a existir!

Quanto ao resto, começo a ficar com medo de votar nas autárquicas para a Assembleia e Câmara Municipal - afinal de contas parece que aquele discurso de "um concelho", "unidos"... é tudo conversa fiada e tudo que ultrapasse "uma localidade = uma Freguesia (Junta + Assembleia)" é coisa impossível e não há gente com competência para tal. Acho que em prol do "não votar em incompetentes," e para não exigir das pessoas coisas humanamente impossíveis, se calhar começo a abster-me de votar nessas.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Alerta "amarelo"!

O post de hoje é um lamento em jeito de alerta... 

Fico triste ao ver que o Caminho Português, em 40kms do Porto a Esposende/Barcelos/Braga... já leva mais desvios do que provavelmente todo o Francês...

Mais triste fico ao ver que Esposende está a "entrar na moda":
- é marcação por Fonte-Boa --> Gemeses --> Bouro...
- é marcação por Fonte-Boa --> Fão --> Esposende...
- é marcação por Apúlia --> Fão...

É... um nojo!!!

Acreditar que ao longo da história várias foram as rotas ao longo dos tempos, cada o teu tempo de auge, é legítimo! Os ciclos mercantis mudavam, os locais de devoção em passagem também. Agora, querer reactivar todos esses caminhos ao mesmo tempo é no mínimo descabido, e dizer descabido é estar a ser muito comedido nas palavras!

E de repente, qualquer carreiro que venha em direcção à ponte de Fão é um Caminho de Santiago! A este ritmo, a rede de Caminhos de Santiago no concelho de Esposende superará a rede da STCP no Porto em menos de 2 anos!

Eu não quero ser mal entendido, quero apenas lançar o repto, para que nem todos aqueles que têm um alpendre na frente de uma capelinha na terra se lembrem de marcar umas setas amarelas e olhar para norte para ver onde vão marcar a seguinte! Os Carreirinhos de Santiago... não têm muito sentido! Digo eu que continuo a olhar para o quanto foi feito em Rates pelo Caminho, sem que tivesse entrado na moda. Agora... parece que virou moda: o turismo low-cost!

É triste!

ps: eu não faço por ser mal entendido, mas se me quiserem entender mal, dou já nota de que me estou "a borrifar"! Não sou nenhum "templário" nem "guardião do Caminho"! Gosto apenas de ser peregrino e como tal sinto-me legitimado a defender "o meu tesouro" com as armas que tenho!

terça-feira, 15 de maio de 2012

O Regresso!

O título de hoje, para quebrar esta a ausência, é pura e simplesmente "o regresso". E é um regresso como quem diz "estou em pulgas"! Depois de impedido por motivos profissionais de participar nas duas primeiras jornadas desta liga, o próximo sábado, para o bem e para o mal (este é um evento pautado pelo desportivismo e amizade sem a "violência" competitiva de outros eventos) vai significar o regresso aos combates... e já lá vão 6 anos desde o Campeonato Nacional de Combates de 2006... o último combate à séria em que participei... e que recordo com o maior "amargo de boca possível", porque perdi-o para o Campeão Nacional desse ano, solenemente "gamado"! E destes 6 anos, 4 deles foram parado, sem hipótese de treinar... e garanto, que depois de 4 anos parado, só se regressa a algo de que se goste mesmo muito.

Hoje, o ritmo de treino é de 3 treinos por semana, em 2006 eram 6. Hoje, são de 1h30... em 2006 eram 3h diárias, 6 dias por semana. O facto relevante: a evolução da modalidade e do nível em Portugal é digno de registo! Hoje seria impossível fazer "boa figura" num nacional - iria lá levar um bonito arraial de pontapés :) 

Para matar o "bichinho" da saudade, sábado vai ser aqui:


Uma nota: arrisco dizer que Esposende terá nos próximos anos motivos de orgulho nesta modalidade. O trabalho desenvolvido pelo Mestre Neto no Taekwondo Clube Esposende começa a mostrar frutos e os "pequenos" começam a mostrar um domínio que motiva quem com eles treina, para contribuir para fazer deles melhores praticantes e melhores atletas.

E porque de Taekwondo falo hoje... deixo aqui nota daquilo que para mim é o ponto mais importante:

"O Juramento"

  1. "Nós como membros treinamos os nossos Espíritos e Corpos de acordo com as Regras prescritas,
  2. Nós como Praticantes estamos unidos numa amizade mútua,
  3. Nós como Praticantes cumpriremos os Regulamentos e obedeceremos aos instrutores e aos mais graduados."
 

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Moonspell - Alpha Noir e White Omega

É garantidamente o melhor álbum de sempre dos Moonspell! Aqui partilho o preview dos dois cds.

Parece haver novidades!

Estou um tanto ou quanto curioso!


Extreme - dia 2!

Depois do monumental empeno do dia 1, o dia 2, apesar das dificuldades igualmente dignas de respeito, acabou por ser mais ciclável. As "paredes" faziam-se lentamente mas na sua esmagadora maioria em cima das bikes. As descidas era técnicas e capazes de deixar muito mal tratados os ossos das costas (desvantagem clara para os que como eu e o meu companheiro de viagem fizemos a prova em bikes com apenas suspensão fronta). E depois de me ter alongado no relato do 1.º dia, não o farei no do 2.º! Foi bom! As paisagens por onde passei valeram todo o esforço. O lazer proporcionado ainda que à custa de muito empeno físico fez com que esta seja uma aventura a repetir, assim o treino o permita em futuras edições. O relato fiel deste segundo dia está aqui

De resto, fica um bem-haja aos voluntários que planearam no terreno o trajecto (porque se custou fazer aquilo uma vez, imagino o que não tenhao custado fazer 2 ou 3)! Os sinceros parabéns a toda a malta da organização, de um modo especial aos que nos acompanharam no terreno com simpatia e reforço alimentar. As condições proporcionadas foram as mais dignas possível para este tipo de eventos onde ninguém está à espera de dormir em hotel. A alimentação foi qb e de boa qualidade. 

Em suma: tirando o pequeno pormenor do atraso no briefing que me deixou algo impaciente, o resto do evento foi fabuloso. Não tenho um único reparo mais a fazer. Senti-me apoiado no terreno, notou-se a preocupação da organização em saber onde andavam os participantes no percurso com a "lista de verificação" em cada posto de controlo, quem teve azares foi acompanhado, o conforto do pavilhão para dormidas foi o aceitável para umas horas de sono bem dormidas (o meu espírito peregrino dorme bem em qualquer canto) e a chegada a Esposende foi em ambiente de festa. Sorte ou não, até o S. Pedro ajudou a que o tempo que se fez sentir no sábado tivesse melhorado para domingo.

No final, e ainda que de pouco interesse pois a partir de Ponte de Lima o objectivo principal passou a ser "chegar ao fim" e não "chegar num lugar porreiro", tenho que aceitar que em 106 atletas que partiram e apenas 67 chegaram ao final com passagem por todos os postos de controlo, classificar-me num 40.º lugar foi um bom lugar. 

Para o ano há mais! Até lá venha o bikecamp e os 5 cumes!

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Extreme: o balanço!

Para os meus amigos e outros tantos conhecidos, não é novidade nenhuma dizer aqui que o 10.º Encontro Luso-Galaico de BTT tinha este ano um elemento motivacional muito forte: o Extreme.

Se há um ano atrás (feito no passado dia 22) eu chegava a Santiago de Compostela depois de ter peregrinado os 850kms do Caminho Francês de Santiago em Btt, facto que me impediu de participar no 9.º Luso-Galaico, este ano eu andava a ponderar uma ida ao Douro Bike Race quando foi lançado o Luso-Galaico 2012! Os olhos fugiram-me logo para o desafio Extreme! A prova Extreme não era novidade, a novidade era serem dois dias pesados de Btt, capazes de substituir a ida ao DBR, quando a inscrição custava quase 10%. A opção fechou-se logo ali! "Vou ao Extreme"! E a prova da rápida decisão é o n.º do frontal.

Desse dia em diante passaram a constar da agenda os treinos para a prova cujos quase 5000 mt D+ e 200kms impunham respeito.
Intercalados com os treinos de Taekwondo lá fui fazendo o melhor que sabia e podia para preparar esta empreitada e comprovou-se que se há coisa que não sofro é de preguiça pois tornaram-se "sagrados" os treinos de bike às terças, quintas, sábados e domingos.

E passada a ansiedade de um evento que tardava em chegar, lá chegou o Extreme! Depois de conversar com alguns dos "camaradas" destas aventuras chegou a altura de decidir a hora de saída para a aventura, uma vez que era possibilitado aos atletas escolher hora de saída entre as 6h30 e as 8h do dia 21.04.12. Eu optei pelas 8h, o que parecendo sinal de preguiça não o é de todo, já que eram 6h50 quando me levantei, para ter tempo de fazer o meu pequeno almoço à medida do evento, de me equipar e de me deslocar de casa para a partida. Na partida encontrei o já conhecido Prof. João Correia, que acabou por ser o meu companheiro de toda a aventura e cujos relatos aqui são um enorme complemento do que aqui eu possa dizer. 

A véspera da partida teve um briefing que serviu para actualizar contactos de emergência e entrega de sacos que a organização se encarregou de levar para o local de paragem do dia 1 (Caminha)! Para mim, este foi um aspecto negativo: à medida que os participantes íam chegando ía-se atrasando o início da suposta reunião. A ansiedade já de si nos torna impacientes e a falta de pontualidade com que a reunião começou, e não durou mais de 15 minutos... foi o momento ingrato do dia. 1 hora de espera é muito tempo. Haja pontualidade.

Ultrapassado o detalhe.
A partida fez-se debaixo de chuva e depois de uns primeiros metros a perceber se o GPS estava OK, lá engatamos o nosso ritmo para um dia que prometia ser desconfortável e duro.

Com base na descrição apresentada no site do evento eu tinha já uma noção do que nos esperava até Ponte de Lima. A Padela é garantidamente o monte em que me sinto "a jogar em casa", é o local onde inclinação e extensão se integram na perfeição com a minha cadência de pedalar, daí que a entrada na Padela tenha sido a parte mais fácil do dia.
Seguia-se a serra da Nora cujo percurso eu já conhecia à excepção da "parede em calçada" que nos fizeram subir até ao Penedo da Janelinha. O piso escorregadio e a lama começaram a deixar moças, agravadas pelo calor do impermeável e da chuva que teimava em não ir de vez, tudo temperadinho com um ar frio que impedia o abrir muito os casacos. A descida da Nora fez-se ainda com a animação do meu companheiro de viagem que me prendou com um número de circo fabuloso numa descida de lama (sem queda), num local onde também eu tinha andado a fazer umas acrobacias. 

Nora ultrapassada e lanche na barriguinha depois de uma curta paragem que serviu para tirar também a lama dos olhos, isto porque zonas houve em que as lentes dos óculos embaciavam e só sem eles se conseguia andar, lá seguimos para Ponte de Lima. Não sem antes nos perdermos 3 ou 4 vezes por culpa do GPS que para além de não falar ainda tinha tempo de gaguejar... isto como quem diz... às vezes tinhamos problemas de comunicação com aquele aparelhinho pequeno que tem a mania que é fino.

Em Ponte de Lima toca a tirar a barriga da miséria! Lanche reforçado: fruta, pães de leite (ou será de açucar? eu e a pastelaria não ligamos), água, bebidas energéticas... Do que havia nada faltou! E foi mais que suficiente já que todos nós saimos com os bolsos abastecidos de casa pois não se parte para este tipo de aventuras com um bidão de água na bike!

De Ponte de Lima rumamos à Labruja e Cabração! O primeiro empeno do dia!! O sol começou a abrir e colocou-me em dificuldades pois ainda sentia frio para tirar o impermeável mas por outro lado a temperatura do corpo começava a disparar. Um pouco acima lá tirei o impermeável e o ritmo recuperou. E depois foi monte e mais monte, trilhos fabulosos por entre mato e giestas floridas... no fundo, é por locais daqueles que tudo isto vale a pena.

Seguiamos com Caminha como miragem mas quando surgiam setas nas estradas que cruzavamos com a indicação "Caminha" mais o GPS nos dizia que ainda muito faltava! E sucederam-se descidas em jeito de parede e subias em jeito de muros! Penoso!!

Por fim, chegamos a Caminha. Um banhinho morno, um esparguete e carne picada com sopa e gelatina e lá se forrou o estômago, não sem que tenha havido espaço para eu aviar ainda um cachorro no tasco ao lado. O desconsolo do dia! Quando eu esperava um cachorro "Big King XXL" sai-me na rifa um "rissol com salsichas", num pão do tamanho de um bolicao com umas raspas de salsichas!

E depois de meia-horita de cavaqueira animada com o pessoal lá fomos dormir.... temendo o dia seguinte.

Continua...


terça-feira, 24 de abril de 2012

Breves Notas!

Enquanto aguardo a divulgação dos resultados da prova Extreme do Luso-Galaico do passado fim de semana para fazer o meu "review" do evento e da minha prestação, deixo-vos com este delicioso relato do meu companheiro de viagem que descreve de forma fiel e cativante o nosso primeiro dia em prova.

E em jeito de nota breve, dei hoje pela morte de mais um blog dos que recomendava na lateral deste espaço.
O joaocepa.blogspot.com foi-se! 
Depois da terrível perda que foi para a blogosfera o desaparecimento do historiasdozequinha, este fecho de edição do blog do nosso autarca vem empobrecer a secção "folhas que leio" ficando os exercícios de memória do que lá andava escrito resumidos à cache do google.

É pena! Eu gostava de ler!

segunda-feira, 16 de abril de 2012

O "Euromilhões"!

Tivesse eu tanta pontaria no "Euromilhões" como tenho noutras coisas e por esta hora não haveria um felizardo em Mirandela mas sim muitos em Esposende (sim, digo muitos porque se me saísse tão avultada "maquia" eu havia de partilhar a coisa com muitos dos que me rodeiam)!


Ora vejam lá se tinha ou não razão!!


sexta-feira, 13 de abril de 2012

Falar Verdade!

O slogan não é meu!
Foi em tempos um slogan do "meu" partido!

Aqui há dois dias atrás lançava aqui umas "curiosidades políticas" que tiveram a particularidade de trazer mais algumas visitas aqui a este "mui belo" estabelecimento.

E porque de PSD lembra o slogan e de JSD falavam as minhas curiosidades, não posso deixar de registar com agrado que há hoje eleições para a JSD Esposende - nada que o Povo Livre de 7 de Março de 2012 não tivesse já dito:


Ao que parece quem não sabia disso era a estrutura local da JSD, já que só ontem deu eco do acto eleitoral. E é a mesma estrutura que dá a notícia repleta de expectativa desejando "à lista, ou listas a votos uma excelente eleição"! 

Ora, de uma leitura muito básica da convocatória se percebe que, à data dos manifestos desejos, a estrutura já tinha obrigatoriamente conhecimento das listas entregues para disputar o acto eleitoral por já ter terminado o prazo de entrega de listas. Também é público e notório que pelo menos duas listas haverá: uma candidata à mesa do plenário a outra candidata à Comissão Política de Secção.



Enfim... será que a divulgação do acto já após o "fecho das inscrições" foi por ... (cada um tire conclusões).

E para terminar, não querendo dizer que sei "mais" que a estrutura local da JSD... mas ainda assim arriscando o palpite...

Ao próximo Presidente da JSD Esposende (o da CPS) eu desejo sucesso e um bom trabalho. Porque será evidente que "de cima" não lhe atormentarão o juízo e quanto ao resto, do que conheço da pessoa, tem carácter suficiente para fazer um bom trabalho. E não escolhi a palavra "carácter" à toa, porque mais que gente que trabalhe e que mobilize, a política dos dias de hoje precisa é de gente com carácter.

E agora que penso nisto, se calhar logo vou votar! Mas mesmo que não vá é igual! Tomem-se estas minhas palavras como se tivesse ido e votado no candidato à CPS. (o da mesa desconheço!)

"Votos de uma excelente eleição!"

Sexta-Feira 13!

Estreou hoje:
Lickanthrope é o teledisco de apresentação de "Alpha Noir", o novo álbum dos Moonspell que além deste disco contém ainda o "irmão""White Ómega". Ainda faltam 15 dias (só dia 27/04) é que chega às lojas o "preciosidade" e até lá resta aguardar e esperar que a Fnac não troque as voltas à minha reserva da Edição Limitada!

Aqui fica com os devidos créditos à Antena 3:



quinta-feira, 12 de abril de 2012

Um sincero OBRIGADO!

Há assuntos que trazem mais visitantes que outros aqui ao 7folhas. Há dias em que não há tempo e outros em que sempre se arranjam uns minutos para actualizar este espaço que com quatro anos e meio de existência e 696 artigos se vai mantendo na blogosfera.

Umas vezes mais comedido nas palavras, outras nem tanto... é assim o ser humano. Mas ao passo que muitos outros, com palavras mais eloquentes abriram e fecharam ao longo destes tempos, aqui neste espaço e talvez porque dei a cara desde a primeira hora, assumi a dimensão de cada uma das palavras aqui escritas. Se critiquei foi abertamente, se aplaudi foi sincero. Não houve crítica pela crítica nem insulto pela cobardia.

Com mais de 58 000 visualizações de página algo se impõe:

- Um sincero obrigado a todos aqueles que por cá passam. Aos que lêem, aos que comentam, aos que concordam, aos que discordam, aos que criticam, a todos aqueles que das mais variadas formas têm sido parte deste blog: OBRIGADO!

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Política, essa coisa tão gira!

Diria que "não há coincidências" mas isso lembra-me o título do pasquim da Margarida Rebelo Pinto e isso dá-me náuseas porque foi provavelmente a prosa mais rasca que li até hoje! E dizer que é rasca já de si pode e deve ser entendido como elogio porque desde o tom brejeiro à foleirice de conteúdo... aquilo é inqualificável.

Hoje, passada a Páscoa, dei por mim com uma curiosidade política: onde pára a JSD Esposende! 
Eu sou do tempo em que 15 dias sem um "suspiro político" era motivo de alarme. Com tanta gente, algo havia de sair para fazer pulsar o "coração". 

Agora, ao que vejo (e não incluindo aqui o que oiço, porque me dizem muita coisa mas... há "coisas" que não é preciso ser bom jogador de xadrez para perceber antecipadamente o "movimento" do outro), dei uma olhada no site e parece estar morta, dei uma olhada no facebook e parece ser apenas uma estrutura que deseja parabéns e manda beijinhos, e fico na dúvida: morreu? O está apenas na incubadora algum grandioso projecto para revolucionar as gerações vindouras? Ou será que está na calha aquilo que eu "oiço" e que já era expectável? Quem arrisca? O que virá por aí?

Tenho pena que assim seja! Que a outrora maior juventude política concelhia ande agora "por aí". Que não participe da vida do Partido e que não tenha uma voz a dizer sobre as questões e desafios que se colocam no concelho! 

A título de curiosidade: estão a favor ou contra o mapa autárquico? 
Apoiam o PSD ou o Presidente de Câmara que agora é um não militante?

E como não havendo coincidências há coisas em sintonia, hoje pergunta-me um colega se já tinha lido o Povo Livre. Fiquei curioso, fui ler, e deparei-me com esta pérola! 

A contrastar com o marasmo concelhio, a estrutura Regional (sim, agora não é distrital, é regional) da JSD anda ao rubro! Fabuloso! 

Ainda há quem diga mal da política e dos políticos!

Viagem na CP e ande a pé!

Alguns de nós levam a sério o slogan "Vá para fora cá dentro" e outros tantos desses que a par do slogan gostam também de pedalar já sentiram a intolerância de alguns "picas" da CP.

Há quem não perceba que para viajar 20kms a gente vai de bike (a CP oferece os regionais para esse biscate) mas para viajar 200 ou 300 kms eu, e como eu muitos, até não nos importavamos de ir de bike. Torna-se cómodo e às vezes é mais económico.

Imagine-se o caso de eu querer ir até Lisboa e lá dar umas voltas para conhecer a capital com a minha bike! Uma opção natural para a viagem até LX podia ser o comboio, digo eu! E digo podia... porque afinal parece que não pode! A CP não é lá muito amiga das bikes e eu, até num regional vindo de Vigo senti essa intolerância quando um Sr. da CP insistia que ía colocar as bikes fora do comboio, isto apesar de virem na zona da carruagem reservada para o efeito, mas que segundo o dito Sr., vinham mais que as que podiam. Na entrada em Vigo ninguém colocou problemas, quando não, passada a fronteira em Valença, chegou um iluminado a insistir que tinhamos que sair. Felizmente, depois de muito latim, lá conseguimos seguir viagem até Viana. E isto num regional.

Já num IC ou Alfa parece que as coisas foram diferentes para os autores deste movimento, e digo para eles porque a última vez que viajei num inter-cidades (Porto-Coimbra) a minha bike ía desmontada como está na imagem e ninguém implicou comigo. Ultrapassado o facto de ser super incómodo colocar aquela carga num comboio por não haver espaço para tal e de toda a gente olhar para nós como se de um sem-abrigo de casa às costas se tratasse, consegui viajar sem problemas de maior.

Agora, diga-se em abono da verdade: quer em Espanha, quer em França, os comboios em que viajei tinham espaço próprio para bikes e tive até a sorte de o povo, percebendo que era um peregrino, me ter ajudado a transportar o material na plataforma de acesso ao comboio. 

Num tempo em que tanto se fala de mobilidade e de poluição... é triste que não haja nesta empresa uma aposta clara em soluções para este tipo de passageiros, que bem poderiam aliviar os encargos com os combustíveis se pudessem transportar as suas bikes no comboio (mesmo para as distâncias de 5kms). 

E parecendo este post apenas um relato em prol do conforto dos ciclistas, a questão que me ocorre é saber, se eu, que tenho mobilidade dita "normal" me vejo negro para colocar uma bike num comboio, como se conseguirá deslocar alguém com mobilidade condicionada numa cadeira de rodas.

Eu bem sei que os administradores da CP, nas suas séries CLS e 700 e pico, não fazem ideia do que é viajar nos transportes que gerem... mas, não custava nada ler qualquer coisinha a respeito do assundo pois não? Digo eu!

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Os velhos do Restelo!

A notícia que ontem veio a público, de que o Pingo Doce iria reduzir o prazo de pagamento aos produtores e fornecedores nacionais de 60 para 10 dias é digna de apluso. 
E lamento que deputados da nação que, aquando da mudança da sede para a Holanda tanto criticaram este grupo empresarial, chegando ao cúmulo de irem pedir explicações para a Assembleia da República sobre o sucedido, não abram agora as goelas para fazer disto notícia.

São demagogos esses que num dia dizem que o o Governo ataca os pobres e protege os ricos e no dia seguinte dizem que o Governo afinal ataca os ricos que por isso fogem para a Holanda. São incoerentes e charlatões. São do contra!

Mas quando "ricos e pobres" tentam unir esforços para dar um rumo diferente às coisas, esses vendedores de banha da cobra continuam sentadinhos nas suas cadeiras na Assembleia, a mandar uns bitaites para os media e assim vão levando a vida. 

São sempre do contra!
Num tempo em que os juros da dívida vão descendo, em que o programa de ajustamento vai sendo cumprido e pela primeira vez alguém diz "os portugueses estão a cumprir", esses Sr.s da esquerda capitalistas continuam a dizer "está tudo mal"!

Não está!
Está a custar é certo! O desemprego é um flagelo e parece evidente que segue descontrolado. Agora, a pergunta impõe-se: "Demagogias à parte, quais são as propostas da esquerda portuguesa para retomar a economia!"

Vai bem a coisa quando os media se debruçam sobre os jogos de poder no PS!

E posto isto: são bem vindos os "descontos em cartão" mas o povo gere-se melhor com dinheiro no bolso.

segunda-feira, 2 de abril de 2012

Made in China

 O Partido Socialista demonstrou no passado fim de semana que é um Partido cada vez mais refém de si mesmo. Durante algum tempo, naquele período em que o país era governado pelo parisiense, cheguei a pensar que o personagem da imagem era uma pessoa sensata. Temi por momentos que o Francisco Assis ganhasse as eleições pois era efectivamente um sujeito com mais garra. Este água-morna parecia demasiado água-morna e eu, que por tendência me irrito com gente água-morna e que passa a vida em ritmo caracol, comecei aí a duvidar do tipo de ar enfezado, com registo vocal ainda mais irritante que o Ministro das Finanças. O tempo acabou por mostrar que os meus receios tinham fundamento: AJ Seguro não discordava de Sócrates por ser diferente dele, discordava porque lhe ambicionava o lugar e o registo.

A alteração estatutária veio provar isso mesmo: AJ Seguro é um líder inseguro, com uma necessidade imensa de mostrar poder dentro de um Partido que se habituou a viver refém da imagem do "querido líder", com uma agravante: AJ Seguro é um cópia de JSócrates, mas uma cópia "made in china"! É uma imitação foleira! É um fulano inseguro, politicamente bi-polar, que ora diz não concordar com a troika era apregoa ser um homem de compromissos, e a braços com a paz podre que empesta a bancada parlamentar liderada por um Sr. que faz jus ao nome e que não obstante ser Zorrinho, às vezes zurra qualquer coisa e ninguém o leva a sério.

Esperava-se mais do grande partido da oposição que mais não é que a caixa de guitarra das cordas da esquerda do bloquinho.



sexta-feira, 30 de março de 2012

A tradição virou moda!

Declaração de intenções: 
1- sou favorável à reformulação do mapa paroquial, perdão, do mapa autárquico nacional!
2- respeito um certo grupo de pessoas com opinião na matéria que ao longo dos tempos deram parte do seu tempo a nível profissional ou pura e simplesmente por passatempo ao estudo da história e das tradições do povo desta nossa lusitânia, fosse com incidência nacional, fosse com incidência local! Aqui manifesto o meu respeito pelas horas de trabalho, pelo carinho e dedicação à causa.
3- a muitos dos outros, historiadores de vão de escada, opinadores de semestre, manifesto o meu repúdio.

Posto isto:
Rio! E rir dizem que é o melhor remédio (embora seja um dito popular, não interpretem esta minha expressão como uma defesa eloquente das tradições de onde quer que seja)! Rio desses que por aí andam de bandeiras ao ar defendendo (com a cartilha histórica que decoraram nos últimos seis meses) as tradições das suas mui belas terras. Muitos deles, não irá há mais de 2 anos, diziam de viva voz que "bom era sermos espanhóis", mas hoje, hoje não, hoje são patriotas, regionalistas, provicianos e bairristas.

Grande vitória para o Governo! Pode vir a perder as próximas legislativas mas já ganhou um país! Se muito de negativo pode haver (porque o há) na forma como a reforma do mapa autárquico está pensada, é inegável que pelo menos no que diz respeito a ter obrigado o povo português a reavivar a sua história, as suas tradições e os elementos de pertença que o ligam a cada local, nisso o Governo teve uma vitória. Hoje não, que está tudo a pensar nos autocarros para Lisboa, mas talvez amanhã, ou daqui a seis meses, muitos se lembrem de que em inícios de 2012 toda a gente sentiu necessidade de ir buscar ao baú da saudade e das recordações aquilo de que se lembrava como sendo tradições e elementos históricos característicos "daquele cantinho que o viu nascer" (Grande Tony Carreira, que agora me lembrei de ti)!

Mutos dos que hoje rumam a Lisboa, não saberão bem porque lá vão, ou melhor, até sabem: vão acabar com o nome da freguesia deles! Isso sim, é o Adamastor! O Bicho Papão que na infância os atormentava se não comessem a sopa, voltou hoje, umas décadas depois, para dizer: "vou comer o nome da tua terra"!
Eles não querem saber da Freguesia, da Junta ou do que quer que seja! Mudar o nome, isso sim... é medonho! Onde é que já se imaginou tal coisa! Acabar com os nomes... ou juntar? Quando não, temos aí misturas de nomes dignas de nome de "empresa na hora"(provavelmente o melhor cardápio de designações insólitas nacional).

Para mim é estranho este alarido! É certo que eu nunca fui um apaixonado da história, ou melhor sempre vi na história uma forma de melhor entender o presente e assim sendo planear ainda melhor o futuro... mas nunca vi a história como um dogma! Se assim fosse noutros tempos... eramos mesmo espanhóis hoje e talvez Braga e Guimarães se entendessem melhor. 

A história que eu estudei relatava, por ordem mais ou menos cronológica, factos e acontecimentos, a esmagadora maioria deles foram elementos mutáveis - vá-se lá compreender: fomos ibéria, condado... e por aí fora, e hoje, em 2012 chegamos à plenitude! Atingimos o ponto em que a evolução estagnou, em que nada pode mudar, porque a história, essa que foi feita de mudanças nos impede hoje de mudar. Como se daqui para a frente estivessemos impedidos de escrever: "em 2012, a freguesia X e a freguesia Y passaram a ser geridas como se de uma só se tratasse, dotadas de uma única Assembleia de Freguesia e uma só Junta de Freguesia". A isto eu chamaria fazer história. Outros preferem ficar reféns de uma história recente, e digo recente, porque nessa visão limitada da história nunca teríamos sequer chegado ao mapa actual, mas uma vez chegados a este decidem vê-lo como o mais correcto ao longo da história e o justo merecedor do rótulo "imutável".

Para bem da humanidade, espero que esmagadora maioria destes fregueses não se dediquem às áreas científicas sob pena de se acabarem todas e quaisquer expectativas em torno de investigações para novos tratamentos e curas de doenças, afinal de contas... desde tempos idos que se morria da doença "A " - para quê buscar a cura? Sempre se morreu com aquilo!

Enfim! Reitero o meu respeito para com aqueles que dedicaram horas à história, ainda que deles esperasse o arrojo de quererem tomar parte a fazer história - de outro modo parecem amantes do automobilismo que não gostam de conduzir.

Agora, aos que quiseram fazer deste tema uma bandeirinha para dizerem "estou aqui", que se fizeram historiadores na wikipedia, que criaram o cliché "reforma autárquica" e que tornaram aquilo que era tradição na "última tendência da moda"... a esses... nem sei que lhes diga! Corro o risco de ser indelicado porque tanta alarido dá-me náuseas.

Vou ficar só por um: respeito-os, ainda que discorde convictamente deles.

E como o meu partido me deixa discordar (ouvi dizer não deixam discordar nos congressos) e eu não tenho ambições político/autárquicas que me obriguem a dizer "a minha santa terrinha é o meu 3.º rim", sou um cidadão livre de, dentro dos limites do respeito da sã convivência social, expressar a minha convicção.

Diz que agora é ".pt"

Hoje andei aqui a dar um re-style ao blog.
Aproveitando as melhorias do blogger, mudei para um template mais moderno. Não sei se é melhor ou pior e isto apesar de dizerem que "os gostos não se discutem" (o que significa desde logo que os desgostos já são discutíveis), a verdade é que achei que assim ficava diferente.

Outra novidade e que não só não tem nada a ver com opção minha, como nem sequer fui tido ou achado para o assunto, é o facto de o 7folhas agora estar em blogspot.pt. 
Eventualmente, aqueles que digitarem o endereço ".com" vão receber mensagem de erro - nada que o google não mande parar aqui ao "novo estabelecimento".

E pronto, por hoje é tudo!

Terminando apenas com um voto de solidariedade para com aqueles que nos últimos dias se têm visto com o fogo à porta de casa, nada que não fosse expectável pois nos meus passeios/treinos habituais de bike tenho-me apercebido que o bom-senso é coisa com pouca expressão no QI de muitas gente: somam-se o número de bouças nesses montes onde cortam os pinheiros, levam o tronco e deixam a rama, ora no meio dos terrenos, ora no meio dos caminhos. Não há sequer a dignidade de limparem os ramos que caem nos caminhos - onde cai é onde fica, até que o fogo faça limpeza. É triste, é vergonhoso e devia ser crime.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Formato Gasto!

O formato "Ídolos" está mais que gasto, é certo.
A ideia de que uma dúzia de domingos na tv podem criar um músico, um cantor, um intérprete ou seja lá o que for, fazendo crer que esse é o caminho para o sucesso ao invés do "caminho das pedras" que percorrem os que estudam música, que fazem dela uma arte com suor, é uma ideia perversa. Mas ainda assim... dada a escassez de programas de jeito ao domingo à noite, e em boa verdade a ideia de que a segunda-feira é "já a seguir", deixa-nos mais vulneráveis ao "qualquer coisa serve" para matar as últimas horas do domingo e fazer o aquecimento no sofá para uma boa noite de sono.
E é assim que vou dando uma olhada nestes programas de entretenimento para matar um pouco de tempinho e para ver os "cromos" - sim, porque há quem se preste a 10 horas de fila para ter 2 minutos de fama! 

De vez em quando aparecem jovens assim! Gente que surpreende e gente que merece ser elogiada, porque em boa verdade eu gosto muito de música, até toco uns instrumentos... mas ter talento ao ponto de chegar ao nível desta malta é outra coisa. Não sou de invejar o talento dos outros, bem pelo contrário. E como acho que quem tem talento deve mostrá-lo, aqui partilho o melhor que vi no passado fim de semana. Gente com um "dom". Porque por muito estudo musical, por muita aula de canto... há quem tenha o "dom" e é o nível desse dom que distingue os dedicados, os esforçados e os bons dos muito bons.

Pura Raça!

Poderoso!

Uma expressão de alegria!

Simplesmente talento!